Presidente da ALESP, Cauê Macris, não pauta o PL 31 e adia decisão para depois das eleições

0

Na última terça-feira (31), o presidente da ALESP, Cauê Macris, não pautou o PL 31, projeto de lei que prevê a proibição da exportação de animais vivos no Estado de São Paulo. O autor do PL, deputado Feliciano Filho, anunciou ao plenário que a decisão de pautar foi adiada para depois das eleições, em outubro. O comunicado causou revolta nos manifestantes, que bloquearam as saídas dos parlamentares no estacionamento do local.

Há mais de um mês, o PL 31 vêm sendo adiado pelos políticos ligados ao setor pecuário. Segundo o deputado estadual João Paulo Rillo (PSOL-SP), o adiamento foi proposto pelo deputado Itamar Borges (MDB-SP) e acatado pelo atual presidente da ALESP, Cauê Macris (PSDB-SP), numa tentativa de proteger os políticos que votarão contra o PL 31.

Rillo acrescenta que os deputados favoráveis ao PL 31 irão obstruir cada projeto que eles tentarem pautar. “Nós não concordamos com o que aconteceu e dissemos que qualquer coisa que ele pautar, vamos obstruir até o fim. Não vamos deixar aprovar nada”, informou aos ativistas. O manifesto tem o apoio de vários parlamentares, como Carlos Gianazzi (PSOL-SP), Enio Tatto (PT-SP), além do autor do PL 31, Feliciano Filho.

Foi divulgada a relação dos partidos que estão tentando impedir a votação do PL 31. São eles: DEM, PPS, PP, PTB, MDB, PSB, PROS, PRB, AVANTE, PSDB e PR.

Manifestantes bloqueiam saídas da ALESP para que PL 31 seja pautado

Após o anúncio da protelação do PL 31, ativistas, ambientalistas e defensores de movimentos ligados à causa animal, resolveram impedir a saída dos parlamentares da ALESP. O bloqueio durou por horas, numa tentativa de pressionar que o projeto fosse pautado. Houve relatos de agressão à uma das manifestantes, mas o fato não foi confirmado.

Tema da proibição da exportação de animais vivos pode chegar ao Senado

Enquanto o PL 31 é postergado por parlamentares da bancada pecuarista, em São Paulo, há uma ideia legislativa tramitando no site do Senado, que pretende expandir a proibição da exportação de animais vivos em todo o território nacional. O assunto se tornará Sugestão Legislativa, caso receba 20.000 apoios até esta quarta-feira (01). Se a meta for atingida, os senadores poderão discutir o tema. A proposta já recebeu mais de 21.400 votos. Para votar na ideia, clique aqui.

*Fontes: Feliciano Filho; Nação Vegana Brasil; Vox Vegan

*Imagem: Alta Almeida



Deixe seu comentário