Vergonha: deputados adiam mais uma vez a votação do PL 31 na ALESP

0

O PL 31, conhecido popularmente como “PL dos Bois”, teve sua votação adiada pela quinta vez consecutiva, nesta terça-feira (10). Diversos ativistas foram à ALESP (Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo) para pressionar os deputados a colocarem o projeto de lei em votação, mas, outra vez, sem resultados positivos.

Na última quinta-feira (05), o PL 31 também deveria ter sido votado pelos deputados, mas, devido a manobras políticas, como esclareceu o deputado Feliciano Filho, autor do PL, o pleito não ocorreu. A expectativa é que o projeto de lei entre em pauta nesta quarta-feira (11).

Os deputados que mais têm se posicionado contra o PL 31, de acordo com o deputado Feliciano Filho, são: Itamar Borges (MDB), Davi Zaia (PPS), Roberto Morais (PPS), Marcos Vinholi (PSDB), Barros Munhoz (PSDB), Carlão Pignatari (PSDB), Gilmar Gimenes (PSDB), Welson Gasparini (PSDB) e Adilson Rossi (PSB).

Conheça os motivos declarados por Feliciano Filho para que o PL 31 seja aprovado

O deputado estadual Feliciano Filho pontuou em seu site e nas redes sociais as razões econômicas, veterinárias, jurídicas, ambientais e morais para que o projeto de lei que prevê o fim de embarque de animais vivos seja aprovado. Confira:

“Conheça as razões econômicas, veterinárias, jurídicas, ambientais e morais para que o embarque de animais chegue ao fim:

De autoria do deputado estadual Feliciano Filho (PRP), o PL 31/2018 tem o apoio da maioria dos deputados, mas duas votações já foram derrubadas pelos poucos deputados adversários do PL que, temendo perder no voto, passaram a fazer longos discursos ocupando todo o tempo destinado ao pleito ou levando a sessão ao esvaziamento (falta de quórum).

1) Porque exportação de gado vivo não é boa para o país – Parecer da imprensa especializada em economia e agronegócios;

2) Porque a exportação de gado vivo é sinônimo de crueldade contra os animais – Parecer de veterinárias;

3) Porque a exportação de gado vivo representa crime de maus-tratos – Parecer Jurídico;

4) Porque a exportação de gado vivo é uma ameaça ao meio ambiente e à saúde humana – Parecer de cunho ambiental;

5) Porque grande parte da população, até mesmo a que consome carne, também é contra a exportação de gado vivo.”

Continue lendo este texto do deputado Feliciano Filho aqui.

Israel está próximo de proibir a exportação de gado vivo

O deputado Feliciano Filho ressalta que a luta pelo fim do embarque de animais vivos é mundial e Israel está prestes a banir a prática em seu território. Um projeto de lei está tramitando no país e prevê o fim desse tipo de exportação em um prazo de três anos.

Em seu Facebook, o primeiro ministro Benjamin Netanyahu afirmou que o PL foi aprovado no Comitê Ministerial de Legislação. Segundo ele, a proibição é uma obrigação deles.

Resta saber se o Brasil seguirá o mesmo rumo.

*Fonte: Deputado Estadual Feliciano Filho

*Imagem: divulgação



Deixe seu comentário