Testes em animais para cosméticos podem ser proibidos no mundo até 2023

0

Resolução do Parlamento Europeu pede que os testes em animais para cosméticos sejam proibidos em todo o mundo até 2023. A medida aprovada pelo comitê ambiental ainda precisa ser votada pelos eurodeputados.

Os testes em animais para cosméticos estão proibidos na União Europeia (UE) desde 2004. Desde 2009 também está proibido o uso de ingredientes testados em animais para cosméticos. A venda de produtos com estas substâncias também é ilegal.

Estas proibições contribuíram com o bem-estar dos animais, graças ao poder econômico da UE. A Europa é o maior mercado mundial de produtos cosméticos. As regras do bloco asseguram que os produtos que entram em contato com o corpo humano devem ser seguros, mas com a garantia do bem-estar animal.

Europa quer proibir testes em animais para cosméticos no mundo todo

Mesmo com a proibição dos testes em animais para cosméticos na Europa, atualmente cerca de 80% dos países ao redor do mundo ainda permitem tal prática.

A resolução aprovada pelo comitê ambiental do Parlamento Europeu pede que a UE defenda a proibição mundial no âmbito da ONU. A medida exige, ainda, que o bloco assegure que a proibição não será revogada em acordos comerciais em discussão. Nem pelas regras da Organização Mundial do Comércio.

De acordo com a resolução, a proibição por parte da UE não prejudicou o desenvolvimento do setor. A medida destaca o potencial de inovação e pesquisa da área de cosméticos para desenvolver métodos alternativos de testes.

Bem-estar animal: prioridade para os europeus

Os europeus se preocupam profundamente com o bem-estar dos animais. Pesquisa realizada em 2016, mostra que 90% das pessoas que vivem na Europa consideram importante que os padrões elevados de bem-estar animal sejam reconhecidos em todo o mundo. Já 89% das pessoas afirmam que a UE deve fazer mais para promover uma maior conscientização sobre a importância do bem-estar animal em todo o mundo.

*Fonte: Parlamento Europeu

*Imagem: divulgação



Deixe seu comentário