Entrevista com Alta Almeida sobre as ONGs Sao Paulo Animal Save e Direct Action Everywhere Sao Paulo

3

animal save e direct action Os grupos Sao Paulo Animal Save e Direct Action Everywhere são movimentos que lutam pela compaixão e direitos dos animais. Começaram no exterior e chegaram ao Brasil há pouco tempo, espalhando cada vez mais unidades pelo país.

Mesmo com alguns anos de existência, muitos ainda desconhecem as atividades e propósitos dos movimentos. Visando apresentar com mais detalhes as duas organizações não governamentais, o portal Mimi Veg conversou com o porta-voz delas, o ativista Alta Almeida.

Dessa forma, o público poderá conhecer e se envolver com o importante e belo trabalho realizado pelas equipes do Sao Paulo Animal Save e Direct Everywhere Sao Paulo.

Assista aqui ao vídeo que o ativista Alta Almeida preparou para o canal do Mimi Veg no Youtube (clique aqui para se inscrever).

Confira a seguir nosso bate-papo com Alta Almeida:

1- Alta, como é o trabalho realizado pelas ONGs Sao Paulo Animal Save e Direct Action Everywhere Sao Paulo?

Em primeiro lugar, obrigado pela oportunidade de compartilhar esses movimentos pelos animais, tão antagônicos e complementares. O Save Movement nasceu em 2015, em Toronto (Canadá). É um movimento recente, mas, é o que mais cresce no mundo. Foi fundado por Anita Kranjc e tudo começou com o Toronto Pig Save.

A ideia inicial era ir a abatedouros e mostrar indignação e compaixão para nossos irmãos animais que seguem cruelmente para a morte. O movimento começou a se espalhar. Ficou, então, conhecido por Save Movement. Anita respondeu a um processo no Canadá em 2017, simplesmente por dar água a animais em um caminhão onde seguiam para o abate. Surgiu, então, a campanha “Compassion is not a crime”.

animal save e direct action O Save Movement baseia-se em duas premissas: levar compaixão e testemunhar o sofrimento dos animais; e documentar tudo o que for possível, principalmente irregularidades, para denunciar.

O Save começou no Brasil no Rio de Janeiro. O grupo é coordenado por Marcus Mourão. Depois foi para São Paulo. O capítulo de São Paulo faz vigílias regulares, sempre utilizando um mix de táticas para ações desse tipo, desenvolvidas pelo Save global e também pelo Sao Paulo Animal Save. Recentemente, entrou em atuação o Save Belo Horizonte, que já fez sua primeira vigília.

O Save é, principalmente, movido pela compaixão e talvez seja o movimento que eu particularmente tenha mais afinidade. Porque percebemos, nas vigílias e nos pós-vigílias, a capacidade de tocar o coração das pessoas. Sempre digo que é um movimento antagônico ao Direct Action, pois enquanto acreditamos na capacidade de mudança das pessoas pela compaixão, o DxE acredita no choque com o sistema.

O Save também desmascara os abatedouros que ficam escondidos nos recônditos das cidades e expõe todos os seus truques e crueldades.

Confira o que Alta Almeida fala sobre o surgimento do DxE no Brasil

animal save e direct action

O Direct Action Everywhere nasceu em 2013, em uma universidade de Berkeley, na Califórnia, com cinco estudantes veganos. Eles estavam insatisfeitos com algumas situações em sua faculdade e na cidade. Começaram, então, a invadir locais, protestando contra o sistema especista de exploração de animais. Rapidamente, seu modelo de atuação espalhou-se pelo mundo.

Há dois anos, recebi uma mensagem de Lucas Mendes, um ativista brasileiro do DxE Global da Califórnia e de Almira Tanner, uma das fundadoras do DxE. Eles queriam abrir uma célula no Brasil.

Fiquei extremamente feliz e honrado. Perguntei se não havia outra célula no Brasil e eles me informaram que seria a primeira na América Latina. Desde então, fizemos treinamentos e iniciamos o capítulo de São Paulo e não paramos mais.

Então, começamos uma série de ações diretas entrando em restaurantes, mercados, eventos etc. O modelo de atuação do Direct Action inspirou vários outros grupos e eu, particularmente, fico feliz com isso.

Até então, tínhamos um ativismo heroico e feito com muito amor no Brasil, mas começamos a etapa de ações diretas como modelo de atuação de um grupo. O DxE segue na mesma linha de atuação, junto com seu irmão 269. O DxE tem em seu DNA a missão de bater de frente com o sistema. Fazemos todo tipo de ação, mas o DNA são ações diretas.

2- De que forma os ativistas lidam com as emoções e sentimentos que vêm à tona quando estão atuando frente a frente com os animais dentro dos caminhões, momentos antes deles entrarem nos matadouros?

animal save e direct actionSempre comento que é engraçado quando convidamos ativistas para ações diretas do DxE. São muitos voluntários e eles querem entrar nos locais, bater de frente, gritar etc. Mas, quando convidamos para as vigílias do Save, são poucos que se habilitam a ir, pois geralmente o desgaste físico e emocional é grande.

Não é fácil, para nenhum ativista, acompanhar nos abatedouros a chegada de animais tristes que pressentem que algum mal vai lhes acontecer. Eles chegam sujos, com cara de assustados, tristes, morrendo de sede e, depois, ouvimos seus gritos sendo retirados dos caminhões ou mesmo sendo sacrificados. Não é fácil sentir o cheiro de morte e permanecer firme na missão do Save.

Muitas pessoas não entendem essa missão, mas o objetivo do Save é estratégico e é a longo prazo. Seu propósito maior é desmascarar e tirar dos seus covis todos os abatedouros do mundo, além de eliminar a nuvem de fumaça que os cerca e mostrar realmente o que eles são: câmaras de extermínio de vidas inocentes.

3- Milhares de animais são abatidos todos os dias. Para as pessoas terem uma ideia, qual a quantidade aproximada de animais abatidos diariamente nos diversos matadouros mapeados por vocês?

Nesses abatedouros clandestinos, eles morrem na base da machadada, da picaretada, da paulada e da facada. Imagine levar picaretada ou paulada até morrer. Pense no terror, nos intestinos soltando, em você se debatendo apavorado, sem ter para onde correr.

Abatedouros que matam poucos, como o Abatedouro Suzano, abatem cerca de 700, 800 animais por noite. E há os abatedouros comoanimal save e direct action os da JBS, que assassinam cerca de 8000 animais por noite. Temos cerca de 500 abatedouros espalhados pela região sudeste, metade clandestinos.

Vamos tomar como média, que cada abatedouro abate cerca de 2500 animais. Chegamos a 1.250.000 animais por dia, só na região sudeste. O Brasil, segundo a filósofa e pesquisadora Sonia T. Felipe, é um dos maiores matadores de animais do mundo. Todos falam da China, mas proporcionalmente é o Brasil. Enquanto a média mundial de mortes por pessoas é cerca de 10 animais, no Brasil a média é 34 animais.

4- De que forma as pessoas podem ajudar e participar do Sao Paulo Animal Save e Direct Action Everywhere Sao Paulo?

As duas melhores formas de ajudar é participando, entendendo a missão de cada grupo e participar. Você não precisa atuar diretamente em uma ação, ir para o front. Você pode assumir tarefas no grupo. Outra maneira de colaborar, principalmente no DxE, é fazer qualquer contribuição mínima financeira, para nos ajudar em nossas ações.

5- Deixe uma mensagem para as pessoas refletirem sobre a exploração e o consumo desenfreados de animais e como podemos mudar essa triste e cruel realidade.

Sou adepto do novo veganismo que abraça a todos e estende a compaixão a todos os seres. Nós, como veganos, não estamos aqui para julgar, mas sim, para ajudar as pessoas a entenderem a vítima que elas são de um sistema que executa e faz sofrer animais, que ganha dinheiro com suas vidas, e também mente e engana a todos os humanos.

Algumas pessoas são hipócritas e, por mero comodismo de continuar consumindo vidas, finge que não veem. Mas, a grande maioria é vítima desse sistema enganador e mentiroso. A grande maioria nasceu nessa sociedade que sacramentou a exploração animal.

Então, como diz a psicóloga Clare Mann em seu livro Vystopia, nossa missão como veganos é abraçar a todos, independentemente do que sejam, e lhes mostrar que há um mundo novo de amor e respeito a todos os seres.

animal save e direct action Contatos com as ONGs Sao Paulo Animal Save e Direct Action Everywhere Sao Paulo:

Os organizadores do Sao Paulo Animal Save e Direct Action Sao Paulo, são:

Alta Almeida – Organizador do capítulo Sao Paulo
Raquel Ferra – Organizadora do capítulo Sao Paulo
Karolyne Marques – Organizadora

Os contatos, em um primeiro momento, podem ser feitos por meio da página no Facebook do Sao Paulo Animal Save e Direct Action.

– Facebook Sao Paulo Animal Save: https://www.facebook.com/savemovementsaopaulo/

– Instagram Sao Paulo Animal Save: https://www.instagram.com/animalsavesp/

– Facebook: Direct Action Everywhere Sao Paulo: https://www.facebook.com/dxesaopaulo/

– Instagram Direct Action Everywhere Sao Paulo: https://www.instagram.com/dxesaopaulo/

*Fonte: Alta Almeida

*Imagens: Sao Paulo Animal Save e Direct Action Everywhere Sao Paulo



Discussão3 Comentários

  1. Alta respeito seu trabalho a disposição o amor .que carrega em seu ser.
    Muito doloroso este processo de ativismo. Mas como sempre falo .Sem voce estes crimes contra estes inocentes nao seria Compartilhado a verdade .e muitos continuariam achando que sua. Comida nasce em um super mercado .Hipocrisia onde so o inocente sofre.
    Que o universo te consagra trazendo sempre sabedoria.e forças juntamente com esta equipe maravilhosa que se uniram a voce. Ativistas queridos amo vcs

  2. Querida Marilza,

    Agradeco suas palavras, fazemos o que podemos pelos animais porque como sempre digo, “eles so tem a gente”, no silencio dos animais vai seu sofrimento, sua dor, a exploração que é feita com eles e sua execução sempre com extrema crueldade.
    Tenho fé em um mundo de liberdade e respeito para todos os seres, e cada um do seu jeito e da sua forma pode contribuir com isso.
    Gratidao por seu amor, gratidao por seu amor aos animais.
    A luta nao para e todos que puderem se juntar a essa luta sao bem vindos.

    Ate que todos os animais sejam livres,

    Alta Almeida.

Deixe seu comentário