Entrevista com Daniela de Almeida – Policial Federal contra crimes ambientais

0

Daniela de Almeida, natural do Rio de Janeiro, é vegana, possui formação em Medicina Veterinária e atua na Delegacia de Meio Ambiente e Patrimônio Histórico da Polícia Federal.

Foi participando como voluntária na ONG Fala Bicho que Daniela descobriu que, ao fazer parte da Polícia Federal, poderia atuar em crimes ambientes. Desta forma, prestou concurso e, há 14 anos, trabalha e realiza cursos nesta área, com o objetivo de proteger, resgatar e defender os animais que são vítimas de crimes ambientais.

Saiba mais assistindo a seguir ao vídeo que Daniela enviou para o Mimi Veg. O material mostra uma de suas atuações na libertação de pássaros apreendidos no tráfico de animais silvestres:

Confira também abaixo a entrevista que ela concedeu falando sobre veganismo e o seu trabalho na Polícia Federal:

1. Como você se tornou vegana, o que a motivou?

Desde quando descobri que exploravam e matavam animais para alimentação, eu disse que não comeria mais carne na minha vida. Eu era criança e minha mãe disse

Porco
Foto e crédito: Daniela de Almeida no Santuário das Fadas.

que então eu só comeria arroz e feijão, pois não teria outro alimento. Como eu não entendia nada, não sabia como substituir a carne, continuei onívora, mas sempre com a consciência muito pesada.

Há 4 anos, conheci uma pessoa que era vegana e, a partir daí, comecei a conversar e ler sobre o assunto. Em uma semana já havia tirado todo e qualquer alimento de origem animal da minha vida. Foi a melhor decisão que tomei!

2. Você encontrou alguma dificuldade ao escolher o veganismo para a sua vida?

Nenhuma dificuldade, era o que sempre queria para minha vida, mas não sabia que era possível.

3. Conte pra nós como é o seu trabalho na Polícia Federal atuando contra crimes ambientais.

É um trabalho em equipe. A Polícia Federal possui a DELEMAPH (Delegacia de Meio PinguimAmbiente e Patrimônio Histórico) em cada estado. Todas as denúncias que envolvem crimes ambientais de competência federal, são encaminhadas para essa delegacia.

Alguns exemplos de crimes que a polícia federal apura são: tráfico de animais silvestres, mineração, desmatamento em área federal sem autorização, poluição em bem da União. A parceria com a sociedade é muito importante! Todos que tiverem informações que envolvam crime ambiental, devem colher a maior quantidade de registros, que ajudem a chegar no autor, e enviar para a Polícia Federal.

4. Como é a sua alimentação no dia a dia, principalmente quando está trabalhando e, muitas vezes, em lugares afastados?

Minha alimentação no dia a dia é bem simples:

– Café da manhã: vitamina com frutas, fibras e castanhas.

– Almoço: depende dos alimentos comprados na feira. Geralmente incluo couve, tofu, muitos legumes e, quando consigo germinar grãos, também coloco na marmita.

– Jantar: como não gosto de jantar, à noite como tapioca com pastas que eu mesma faço.

A parte mais complicada é quando viajo em missão, pois geralmente vou para lugares afastados. Ainda bem que em todo lugar tem arroz e feijão…rsrsrs. Costumo levar castanhas, nozes, amendoim, macadâmia e frutas secas quando vou para o meio do mato. Incrível como me sustenta! O bom é que frutas também estão presentes em qualquer região.

5. Deixe uma mensagem para as pessoas que têm o desejo de adotarem o vegetarianismo, mas que acreditam que é “muito difícil”.

Gato Não tem nada de difícil em eliminar alimentos de origem animal. Quando tomamos essa decisão, descobrimos que há centenas de outros alimentos que nem sabíamos que existiam. Passamos a ler mais sobre o assunto e ganhamos muito conhecimento sobre alimentação. É uma decisão que nunca causará arrependimento. O veganismo faz bem aos animais, ao meio ambiente e à nossa saúde. Todos ganham!

Contato com Daniela de Almeida:

*Instagram – @apfselva

Imagens: Daniela de Almeida



Deixe seu comentário