Pesquisa mostra que 44% das crianças britânicas adotam o veganismo pelos animais

0

Um estudo realizado no Reino Unido mostra que 44% das crianças britânicas estão adotando o veganismo em prol dos animais. A pesquisa revela, ainda, que mais de 30% delas aderiram ao modo de vida para salvar o meio ambiente. Confira a seguir mais detalhes do levantamento.

*Por Jemima Webber para o LiveKindly

As crianças no Reino Unido estão cada vez mais se tornando veganas. O aumento é duas vezes maior em comparação com a taxa de crescimento dos adultos, segundo uma nova pesquisa.

Um estudo revelou que uma em cada dez crianças, entre 8 e 16 anos de idade, são vegetarianas ou veganas (veja mais aqui).

A pesquisa, realizada pela marca de carnes vegetarianas Linda McCartney Foods, também descobriu que quase metade das crianças está tentando reduzir o consumo de carne e produtos lácteos.

Cerca de 44% dos participantes da pesquisa que deixaram de consumir produtos de origem animal disseram que mudaram “para ser mais gentis com a natureza e os animais”, mostra o relatório.

Aproximadamente 31% disseram que se tornaram veganos para reduzir seu impacto no meio ambiente. O desejo de melhorar a saúde foi um fator motivador para 29% das crianças. Quase dois em cada cinco (19%) participantes se tornaram veganos simplesmente porque preferem alimentos à base de vegetais.

Muitas crianças foram inspiradas por outros a adotarem o veganismo. Cerca de 7% delas se tornaram veganas após verem influenciadores nas mídias sociais seguindo o modo de vida.

Aproximadamente 17% não consomem mais alimentos de origem animal por influência dos pais, marcando a crescente tendência de consumo baseado em vegetais também nas gerações mais velhas.

Veganismo: comida sem ingredientes de origem animal na escola

As escolas estão fracassando em acompanhar os hábitos alimentares de seus alunos, observa o estudo. Cerca de 70% das crianças afirmaram que não há opções veganas e vegetarianas suficientes disponíveis, enquanto ainda mais crianças tiveram que comer alimentos não veganos, devido à falta de opções.

Aproximadamente 77% dos participantes de uma dieta baseada em vegetais disseram ter sido forçados a comer carne em pelo menos uma ocasião.

Cerca de 81% dos pais com filhos vegetarianos ou veganos disseram que não há opções saudáveis suficientes à base de vegetais na escola de seus filhos.

No entanto, as circunstâncias estão melhorando para os jovens que querem comer mais comida vegana e vegetariana. Em 2018, as escolas primárias do Reino Unido se comprometeram a servir 3,1 milhões de refeições sem carne nos 12 meses seguintes, em um esforço para melhorar a saúde dos estudantes.

O programa School Plates foi iniciado pela ProVeg UK. “As escolas podem desempenhar um papel importante em incentivar seus alunos a estabelecer hábitos alimentares saudáveis. O programa School Plates é o ponto de partida perfeito”, disse a ProVeg.

“Comer mais vegetais é bom para nós. Constrói padrões de alimentação saudáveis em longo prazo, que podem nos poupar das doenças mais comuns da nação, protege nosso planeta e seus recursos e, crucialmente, é mais barato também”, acrescenta Jimmy Pierson, diretor da ProVeg UK.

*Fonte: LiveKindly

*Imagem: divulgação

Você também pode gostar de ler:

Estudo revela que 45% dos veganos se sentem discriminados no trabalho

Relatório mostra que pessoas acima de 60 anos estão adotando mais o veganismo

Revista Veja destaca crescimento do veganismo e indica opções veganas para alimentação



Deixe seu comentário