Japão retoma oficialmente caça comercial de baleias em seu território

0

Na última segunda-feira (01), o Japão oficializou a retomada da caça comercial de baleias em seu território, após trinta anos. A ação ocorre meses depois que o país anunciou sua saída da Comissão Baleeira Internacional – CIB. O órgão impedia que a nação asiática capturasse os animais desde 1986, se não fosse com fins científicos.

Os japoneses já caçavam os animais, mas de uma maneira mais velada. Eles encontravam brechas no regulamento da entidade e informavam que as capturas eram para propósitos científicos.

Volta da caça comercial de baleias revolta ativistas e defensores de animais

A decisão provocou revolta de ativistas e defensores de animais, que temem a extinção das baleias.

No Brasil, o grupo Vox Vegan, em suas redes sociais, lamentou o retorno da prática e disse que vai continuar lutando para acabar com a caça. “Tão lamentável, triste e monstruoso que nos faltam palavras! Mas, uma coisa dizemos: não vamos deixar de lutar jamais!!!”, publicou (veja o post aqui).

Caça comercial de baleias: mesmo com a medida, algumas ONGS e especialistas analisam que a prática pode estar perto do fim

Apesar da medida, alguns especialistas acreditam que o Japão está próximo de erradicar a prática. De acordo com o diretor de conservação marinha do Fundo Internacional para o Bem-Estar Animal, Patrick Ramage, os japoneses reduziram o consumo de carne de baleia, diminuindo os incentivos do governo para o setor. Isso indica que, em alguns anos, a indústria baleeira perderá sua força.

“O que estamos vendo é o começo do fim da caça japonesa às baleias. O Japão está abrindo mão da caça de baleias em alto-mar. Ainda não é um ponto final, mas é um grande passo para o fim da matança de baleias”, argumenta.

Além disso, com a retirada do país da CIB, os japoneses não poderão mais caçar além de seu território, poupando áreas onde vivem espécies ameaçadas de extinção.

Segundo a Sea Sheppard, uma das maiores organizações que lutam pela preservação da vida marinha, a saída do Japão do CIB acaba com a caça às baleias no oceano Antártico. Dessa forma, eles poderão construir o Santuário de Baleias Antárticas (saiba mais aqui).

Conforme a entidade, os países que mais caçam baleias, atualmente, são a Noruega e a Islândia. “Este ano, a Sea Shepherd concentrou sua atenção no combate à caça de baleias islandesas, devido à urgência de ameaça às baleias comuns, com risco de extinção, e à possibilidade de caça às baleias minke”, esclarece.

*Fontes: G1; Exame; Veja; Sea Sheppard

*Imagem: divulgação

Você também pode gostar de ler:

Estudo diz que mais de 50% das orcas selvagens do mundo podem desaparecer

Estudo descobre que 122 das 128 baleias mortas em caça japonesa estavam grávidas

Aquário de Vancouver não terá mais baleias e golfinhos em cativeiro



Deixe seu comentário