Motivos pelos quais veganos não ficam tentados a comer bacon

0

Já é corriqueiro para os veganos explicar para quem consome carne que eles não sentem vontade de comer animais. Este artigo conta como uma vegana explica isso para seus pais, parentes e amigos.

*Por Elizabeth Enochs

Na semana passada, fui visitar meus pais. Estávamos tomando café na cozinha, depois de eu ter ficado três meses longe de casa, quando meu pai perguntou: “Você se incomoda se eu preparar bacon?” Fiquei quieta.

Ele me faz essa pergunta toda vez que volto para casa pra uma visita e nunca sei como responder. Ter um bom jantar em família é complicado quando se é o único vegano da mesa. E, o fato do meu pai ter uma pequena fazenda de porcos, deixa o clima mais tenso. Além disso, tenho a impressão de que ele não se importa com a minha resposta para a sua pergunta e não entendo por que ainda a faz. Eu sou vegana – é claro que me incomoda ver gente cozinhando carne animal.

“Quero dizer, vai me deixar triste”, respondi. Meus amigos compartilharam um olhar.

“Não”, disse ele…”Vai fazer você querer comer bacon de novo?”. Minha mãe interveio: “Ele está preocupado em tentá-la”.

É um equívoco que acontece desde que parei de comer animais e rapidamente estou perdendo a paciência. Não consigo dizer quantas vezes parentes e amigos se desculpam por comer cheeseburguers na minha frente, ou me perguntam se o cheiro do churrasco me faz sentir falta de comer costelas ou sanduíche de carne de porco desfiada. Como se ser vegano significa fingir amar macarrão, mas realmente desejar comer animais. Como se não fosse possível eu estar satisfeita com a minha dieta vegana.

Como se não houvesse uma tonelada de deliciosos substitutos de carne para veganos escolherem. É quase tão irritante como ser manipulada a fazer algo.

Eu falei para os meus pais a versão curta sobre por que eu nunca vou ficar tentada pelos bacons em seus pratos. Porque sempre associarei bacon, ou qualquer tipo de carne, ao sofrimento. Eu contei a eles como as mães de porcos criadas nas fazendas são mantidas, trancadas em caixas de gestação tão pequenas, que só podem se levantar ou deitar; elas não podem caminhar ou se virar. Eu lhes disse como esses animais são forçados a entregar seus bebês enquanto estão confinadas em gaiolas. Elas nunca conseguem se aconchegar ou brincar com seus leitões.

Esse é o máximo de crueldade que a minha mãe pode suportar. Então, não consegui dizer que os leitões são rotineiramente mutilados sem analgésicos, ou que é uma prática padrão da indústria matar leitões esmagando suas cabeças contra o chão. Desde que me tornei vegana no ano passado, também não encontrei a oportunidade de conversar com meus amigos sobre os muitos riscos para a saúde associados à alimentação de animais, o benefício ambiental do veganismo ou como uma sociedade mais vegana poderia ajudar reviver a amada América rural. Mas eu pretendo.

Veganos fizeram uma escolha e não sentem vontade de comer animais

Não me interpretem mal. Eu entendo que meus entes queridos se preocupem comigo e me façam perguntas sobre o veganismo, mesmo quando essas perguntas me incomodam. E, quando se trata de meu pai, eu sei que ele está apenas tentando ser atencioso. Mas estou cansada de carnívoros me perguntando se sentimos falta de carne. A verdade é que quase todos os veganos comeram carne em um ponto de suas vidas. Mas, aprendemos como é feita e quem é torturado e abatido para produzi-la. Fizemos – e fazemos a escolha todos os dias – para substituir a carne e outros produtos de origem animal por alimentos mais saudáveis e mais ecológicos que são deliciosos.

O veganismo não é apenas uma dieta. É um modo de vida de bondade. E é gratificante.

Porém, uma coisa é certa: nunca mais meu pai terá que se preocupar se eu vou ficar tentada com bacon. E, com sorte, nenhum dos meus pais será capaz de esquecer o por que.

*Fonte: Mercy For Animals

*Imagem: Pexels



Deixe seu comentário