Veganismo e minimalismo

0

O veganismo e o minimalismo são modos de vida que podem caminhar muito bem juntos. Quando uma pessoa vegana adota o minimalismo, repensa seus hábitos de consumo, ajudando a preservar recursos naturais, contribuindo com o equilíbrio ecológico no planeta, gerando menos lixo e poluição.

*Por Juliana Barreto

O que tem a ver o veganismo e o minimalismo? Tudo!

O minimalismo me ajuda a ser uma vegana muito mais prática e consciente. Isso porque, além de escolher bem os produtos que utilizo para que não contenham “ingredientes” de origem animal e não tenham sido testados em animais, também evito exageros, acúmulos e compras desnecessárias.

Faço as minhas escolhas conscientemente e busco ter apenas o que realmente preciso e me faz feliz.

Essa atitude me ajuda a poupar os recursos naturais e, consequentemente, preservar a natureza, que é o habitat dos animais (que somos todos nós). Por isso, esses dois estilos de vida combinam tanto!

Mas, calma, você não precisa ser minimalista para ser vegano. Para aderir ao veganismo, você só precisa evitar o sofrimento animal sempre que for possível e praticável. E pronto! Porém, se o minimalismo te encanta também e faz sentido pra você, garanto que te liberta ainda mais.

Minimalismo demanda mudanças nos padrões

Quando a gente se torna vegano, a primeira coisa que tiramos é a venda dos olhos. Despertamos. Quando você caminha também na direção do minimalismo, você tira as algemas, as amarras e a prisão metal que você adquiriu ao longo da sua vida.

Somos educados, ou melhor, treinados, para sermos consumistas e seguirmos padrões, seja de beleza, educação, alimentação, saúde, trabalho, família, vida! São anos nessa “escola técnica” de formação para manter a engrenagem do sistema rodando. E um dos caminhos para sair dessa roda é o estado consciente e presente da mente.

Já reparou que quando a gente só pensa no passado ou futuro e vive no piloto automático, a gente faz essa roda girar ainda mais rápido?

Pensar só no futuro, por exemplo, te faz consumir mais, estocar mais, comer mais… A ansiedade te aprisiona e é um círculo vicioso.

Quando você fica consciente e presente, você se acalma, pensa mais, respira mais e, consequentemente, você passa a se conhecer melhor. Esse autoconhecimento te faz perceber o que você realmente gosta de vestir, o que prefere comer, o que te faz bem, o que te deixa feliz.

Parar de se importar com opiniões alheias é um dos caminhos para ser minimalista

Tudo isso te faz entender que você não precisa fazer tudo igual aos outros. Você começa a se sentir tranquilo com relação a essa atitude. A opinião das pessoas para de importar e você fica confiante dos seus atos. Esse é o início do caminho para o minimalismo.

Comigo funcionou assim e eu continuo caminhando dessa forma e aprendendo cada dia mais. Quanto mais me conheço, mais seletiva eu fico e isso se reflete em tudo, inclusive no veganismo.

Ah, detalhe importante! Aqui, o minimalismo na alimentação não é sobre comer pouco, nem ser magra e nem passar fome. É sobre não desperdiçar comida.

Juliana Barreto é produtora de conteúdo sobre temas relacionados ao veganismo, minimalismo, artesanato e maternidade.

*Fonte: Vida Prática Vegana

*Imagem: divulgação

Obs.: o conteúdo deste artigo é de responsabilidade do autor.

Você também pode gostar de ler:

Como ser vegano gastando pouco? Veja 4 dicas para economizar

Perdi amigos quando me tornei vegano – agora estou muito mais feliz

Como lidar com pessoas contrárias ao veganismo?

 



Deixe seu comentário