Síndrome do intestino permeável é causada pelo glúten?

0

Você sofre da síndrome do intestino permeável? Essa condição gastrointestinal afeta diversas pessoas e muitos médicos acreditam que ela é responsável por originar outros problemas de saúde. O fisioterapeuta e especialista em alimentação saudável Dr. Juliano Pimentel explica mais sobre essa complicação e analisa a relação dela com o glúten.

*Por Dr. Juliano Pimentel

A síndrome do intestino permeável ou a permeabilidade intestinal é uma condição gastrointestinal que afeta muitas pessoas. Alguns profissionais da saúde negam que o intestino gotejante (intestino permeável) existe, enquanto outros afirmam que é a raiz de quase todas as doenças.

Mas, um fator chama a atenção: qual o papel do glúten no desenvolvimento dessa doença e na piora dos sintomas? Pesquisas médicas apontam uma relação.

Neste artigo, eu irei explicar mais sobre a pesquisa sobre glúten e síndrome do intestino permeável.

Síndrome do intestino permeável x glúten

Vários estudos apontam que o glúten pode aumentar a permeabilidade intestinal e causar uma resposta imune no corpo (veja mais aqui).

O sistema imunológico responde a substâncias que reconhecem como prejudiciais por causar inflamação.

A inflamação é o mecanismo de autoproteção natural do corpo. Mas, quando ela é persistente (inflamação crônica) está associada a múltiplas doenças.

Em indivíduos sensíveis, o glúten é considerado um invasor, causando inflamação.

Zonulina é uma proteína que regula as junções apertadas do intestino delgado. Quando ela é liberada no intestino, as junções apertadas abrem ligeiramente e permitem que partículas maiores passem através da parede intestinal.

Estudos descobriram que o glúten ativa a zonulina, o que leva ao aumento da permeabilidade intestinal (saiba mais aqui). Pesquisas apontam que o glúten ativa essa proteína em células de indivíduos com e sem doença celíaca. Contudo, os níveis dela foram muito mais elevados nas células de doentes celíacos.

Síndrome do intestino permeável: entenda mais sobre o glúten

Se você ainda não está familiarizado com o termo, glúten é uma mistura de proteínas encontradas naturalmente em grãos como trigo, cevada e centeio. É responsável pela natureza elástica da massa, textura e sabor ao pão, por exemplo.

As duas principais proteínas que compõem o glúten são: gliadina e glutenina.

Gliadina é a porção do glúten que traz malefícios para a saúde. O trato digestivo é onde o alimento é quebrado e nutrientes são absorvidos na corrente sanguínea. As paredes dos intestinos também servem como uma barreira importante entre o intestino e o resto do corpo.

A parede intestinal serve como um “portão”, determinando quais substâncias passam para a corrente sanguínea e órgãos.

Permeabilidade intestinal é um termo que descreve como as substâncias passam através da parede intestinal. Normalmente, há pequenas lacunas entre as células do intestino delgado, chamadas de junções apertadas.

Se elas estiverem danificadas ou ficarem muito soltas, isso fará com que o intestino se torne “gotejante”, permitindo que substâncias e organismos no intestino fiquem na corrente sanguínea.

Quando as bactérias e toxinas estão “vazando” na corrente sanguínea, pode provocar uma inflamação generalizada no corpo.

O aumento da permeabilidade intestinal está relacionado a doenças autoimunes, incluindo diabetes tipo 1, doença de Crohn e doenças inflamatórias da pele.

Síndrome do intestino permeável: glúten e a doença celíaca

A forma mais grave de intolerância ao glúten é chamada de doença celíaca. É uma complicação autoimune hereditária.

Para os indivíduos com doença celíaca, o glúten pode causar diarreia, dor de estômago, gases excessivos e erupções cutâneas.

Ao longo do tempo, pode causar danos ao intestino, o que prejudica sua capacidade de absorver certos nutrientes.

No entanto, algumas pessoas que não são celíacas também reagem negativamente ao glúten. Chamamos isso de sensibilidade ao glúten não celíaca. Os sintomas são semelhantes à doença celíaca, mas sem a resposta autoimune. Elas podem sentir diarreia, inchaço e gases, juntamente com dor nas articulações e problemas de concentração.

O glúten aumenta significativamente a permeabilidade intestinal em pacientes celíacos. Um estudo clínico também descobriu que o glúten aumentou a permeabilidade intestinal em pacientes com síndrome do intestino irritável (confira mais aqui). Não existe atualmente nenhum método clínico de diagnóstico para a sensibilidade ao glúten não celíaco.

Se você reagir negativamente ao glúten e seus sintomas são aliviados com uma dieta sem glúten, você provavelmente tem sensibilidade ao glúten.

Síndrome do intestino permeável: fatores de risco

Profissionais médicos ainda estão tentando entender exatamente o que provoca a síndrome do intestino permeável. Mas, existem alguns fatores que são conhecidos por contribuir para a condição:

1 – Dieta insalubre: uma alimentação rica em carboidratos refinados pode aumentar a permeabilidade intestinal.

2 – Estresse: se expor a situações de nervosismo prolongado pode causar todos os tipos de problemas gastrointestinais, incluindo aumento da permeabilidade intestinal.

3 – Anti-inflamatórios não esteróides (AINEs): o uso excessivo de AINEs, como o ibuprofeno, pode aumentar a permeabilidade intestinal.

4 – Inflamação: a inflamação crônica disseminada contribui para múltiplas doenças graves.

5 – Flora intestinal comprometida: quando o equilíbrio entre as bactérias benéficas e prejudiciais que revestem o intestino fica comprometido.

6 – Deficiência de zinco: pode alterar a permeabilidade intestinal e contribuir para múltiplos problemas gastrointestinais.

7 – Levedura: está naturalmente presente no trato intestinal. Quando o crescimento de levedura, principalmente a candida, sai de controle, causa problemas gastrointestinais.

Síndrome do intestino permeável: como melhorar a saúde intestinal

Uma das chaves é melhorar a saúde da flora intestinal. Isso significa aumentar as bactérias benéficas do intestino, para que elas ultrapassem a quantidade das bactérias nocivas.

Aqui estão algumas maneiras de melhorar sua saúde intestinal:

1 – Probióticos: são bactérias benéficas que podem melhorar a saúde intestinal.

2 – Evite carboidratos refinados: evite o açúcar e a farinha de trigo refinada. As bactérias nocivas no seu intestino prosperam nestes alimentos.

3 – Coma alimentos ricos em fibras: frutas e legumes são ricos em fibras solúveis, que alimentam as boas bactérias no seu intestino.

A alimentação livre de glúten melhora a saúde e traz inúmeros benefícios, mesmo que você não sofra de alergia a ele.

Dr. Juliano Pimentel é médico e fisioterapeuta, especializado em alimentação saudável e sem glúten.

*Fonte: Dr. Juliano Pimentel

*Imagem: divulgação



Deixe seu comentário