Presidência da ALESP convoca reunião com ativistas e pressão para pautar o PL 31 continua

0

O presidente da ALESP, Cauê Macris, conversou com ativistas sobre o PL 31, na última segunda-feira (06), após manifestações nas redes sociais e ruas. O grupo pediu abertamente que o projeto de lei fosse pautado, porém, o deputado informou que não poderia colocar o PL em votação, sem a aprovação da maioria dos parlamentares.

PL 31: tópicos da reunião com Cauê Macris

Os ativistas tinham cinco objetivos principais na reunião com o presidente da ALESP (fonte Vox Vegan):

– Exigir a pauta do PL 31 antes das eleições;

– Escutar com perspectiva, sem a inocência de acreditar simplesmente, afinal, estavam preparados de antemão para quais seriam suas colocações e os “jogos de empurra”;

– Buscar informações novas (ou não) do que aconteceu no colégio de líderes, onde foi decidido que o PL 31 seria deixado para depois das eleições;

– Deixar claro que os ativistas não vão ceder, e que a pressão diante de obstruir outras pautas continuará;

– Conseguir uma foto oficial da reunião, onde ele estivesse com o Ban Live Export nas mãos. Afinal, como seu público “bancada do boi” veria tal atitude dele?

Confira o posicionamento de Cauê Macris

Ao longo do encontro com os manifestantes, o presidente da ALESP declarou seu posicionamento. Foram discutidos e decididos os seguintes pontos:

– Que o PL 31 não foi para a pauta porque os líderes dos partidos assim escolheram. E, como estes, sendo maioria, a minoria (a favor do PL31) foi voto vencido;

– Aconselhou entrar em contato com os líderes dos partidos que votaram para pautar o PL 31 apenas após as eleições. Deixar claro que serão expostos (sempre com equilíbrio e argumentação);

– Que ele, como presidente, poderia, sim, pautar. Mas, que não o fará, se a maioria dos líderes não decidir que assim deve ser;

– A pressão sobre o Cauê continua. Afinal, seja como for, é o presidente da ALESP e tem o poder de diálogo e decisões;

– Ele comenta que não se importa com a pressão pelas mídias sociais e não pautará antes das eleições não devido às postagens, mas apenas caso os líderes dos partidos mudem de opinião;

Observação dos ativistas sobre este ponto: será que ele não se importa mesmo com a pressão ativista, bem em época de eleição, e que, por meio das mídias sociais está em todo Brasil, principalmente nas cidades onde ele obteve maior quantidade de votos? Ele sabe bem que, atualmente, a maior ferramenta de propaganda política são as redes sociais;

– Ele disse que, mesmo se os líderes mudassem de posição e hoje o PL 31 fosse pautado, provavelmente não passaria. Afinal, não haveria quórum, haja vista que os deputados “estão na rua” em campanha eleitoral;

Observação dos ativistas em relação a este ponto: se hoje não haveria quórum, após as eleições os deputados que hoje são a favor, se manteriam nessa posição? De alguns sabemos bem a resposta. Então, exigimos a pauta agora e a presença dos deputados para discussão;

– Cauê menciona que mesmo depois das eleições, acredita que o PL31 passe na aprovação.

Observação dos manifestantes sobre esta afirmação: será que ele acredita mesmo nisso? Ou é muito ingênuo de achar que, diante dessa fala, nós iríamos recuar com a pressão ativista, seja nas mídias sociais ou na ALESP? Não caímos nessa, Sr. Deputado.

Mensagem dos ativistas a todos que estão nesta luta

Em sua página no Facebook, o Vox Vegan deixou uma orientação a todas as pessoas que estão apoiando essa causa. “O líder de partido ser contra o PL31 não necessariamente quer dizer que todos os membros do partido são contra o PL31. Ou seja, sejamos prudentes de canalizar a atenção nos LÍDERES, para NÃO atacarmos o partido como um todo, correndo o risco assim de perder aliados a favor do PL31.”

Veja o resumo da reunião com o presidente da ALESP (fonte Vox Vegan)

“Cauê Macris nos recebeu em plena manhã de uma segunda-feira, em época que deveria estar apenas trabalhando “nas ruas” para sua campanha política. Isso mostra que nossa pressão está, sim, o afetando diretamente. Ao direcionar a culpa da NÃO pauta para outros deputados, principalmente os líderes de partidos que votaram contra o PL 31, nós entendemos que, em parte, ele tem razão, afinal, muitos ali estão lutando contra o projeto desde o início.

NO ENTANTO, sabemos mais ainda que ele, como presidente da ALESP, tem sua parcela de responsabilidade na NÃO pauta do projeto. Assim, ele reafirmou que não irá pautar antes das eleições e nós reafirmamos que continuaremos a pressão. Se não pautar o PL 31, lutaremos por obstrução de outros projetos.

Ele reafirmou que, mesmo pautando, não haveria quórum para votação. Nós continuamos exigindo que os deputados trabalhem pelo povo, mesmo em época de eleição. Ele disse acreditar que, mesmo depois das eleições, o PL 31 passa na votação. Porém, nós não acreditamos tanto assim.

PORTANTO, a pressão continua, afinal, nós somos o povo, nós somos a resistência, nossa luta está indo além dos animais, mas também para que aquela máquina lenta e imoral de legisladores mude, e cumpra seu papel diante da população brasileira.”

Mesmo após reunião, PL 31 ainda não foi pautado e pressão continua

O PL 31 está há mais de um mês em trâmite na ALESP, passando por diversas obstruções políticas.

Vários atos já foram realizados e, após a decisão do presidente da ALESP, em determinar que o PL 31 fosse pautado para após as eleições, revoltou ainda mais os ativistas. Eles realizaram um grande manifesto no último domingo (05). O ato resultou numa reunião com Cauê Macris nesta segunda-feira, porém, o projeto de lei ainda não foi pautado.

O deputado estadual Feliciano Filho (PRP-SP), autor do PL 31/2018, está tentando pressionar os políticos. Com a ajuda de políticos favoráveis, ele está obstruindo outras pautas. O objetivo é postergar os demais assuntos, até que o projeto de lei seja colocado em votação.

Feliciano Filho está lutando também para que o Colégio de Líderes faça sua reunião abertamente. “Aproveitei para protocolar um requerimento solicitando que o Colégio de Líderes aconteça no plenário Juscelino Kubitschek, às claras, em vez de ser uma reunião quase secreta, como é hoje.”

O projeto de lei continua sem uma data definida para ser pautado na ALESP, mas os ativistas pedem a todos que continuem ajudando a pressionar o presidente da ALESP a pautar o PL 31.

*Fontes: Vox Vegan; Feliciano Filho; Nação Vegana Brasil

*Imagem: Veganzulal



Deixe seu comentário