“Eu não sou bagagem!” Movimento online pretende mudar regras de voo com pets após mortes de gatos

0

Dois gatos morreram recentemente durante um voo da Aeroflot (companhia aérea Russa) e o tutor deles iniciou uma mobilização online para mudar as regras de voo com pets. O incidente levou dezenas de tutores de animais indignados a se preocupar em viajar com seus animais de estimação. Saiba mais a seguir.

*por Dária Korneitchuk

Um segundo escândalo envolvendo animais de estimação aconteceu a bordo da Aeroflot este ano. No voo de Nova York para Sofia, com conexão em Moscou, dois dos três gatos que viajavam no compartimento interno foram encontrados mortos, enquanto outro estava à beira de congelar. Suas caixas de transporte também haviam sido bastante danificadas durante a viagem.

O tutor, Maxim Chumachenko, exigiu abrir uma investigação sob o artigo de ‘crueldade animal’: “Acho que minha reivindicação às pessoas que fizeram isso nunca será satisfeita. Existe um artigo do Código Penal da Federação Russa sobre isso – Crueldade para com os animais. Eu quero que eles sejam condenados apenas neste artigo”, disse Maxim em um vídeo em sua conta do Facebook .

Regras de voo com pets: animais não são bagagens, são passageiros

A Aeroflot não demorou muito a reagir, emitindo um comentário oficial e colocando a culpa na empresa de movimentação do Aeroporto Sheremetyevo de Moscou, que, por sua vez, divulgou uma explicação em seu próprio site oficial. Ambos chegaram à mesma conclusão: mudanças na tecnologia de manutenção de bagagens e contêineres com animais devem ser feitas e os padrões existentes melhorados.

O caso foi calorosamente discutido em público. Os tutores de animais não ficaram muito satisfeitos com as reações oficiais e começaram a compartilhar suas próprias experiências, resultando em um flash mob online, onde cães e gatos estão sentados dentro de malas com a nota “Eu não sou uma bagagem – sou um passageiro!” O flash mob encontrou apoio entre os famosos blogueiros de animais russos, bem como os amantes de animais no exterior!

O dono dos gatos mortos está planejando lutar por mudanças nas regras de transporte de animais. Em sua página no Facebook, Maksim iniciou um movimento pedindo apoio de simpatizantes por animais em todo o mundo. Além disso, seu caso chamou mais atenção para a petição inicial iniciada por Anastassia (outra tutora que perdeu seu cão) após o seu acidente.

“Somos obrigados a lembrar ao mundo a necessidade de uma atitude carinhosa em relação à viagem com animais”, destacou Maksim.

Continue lendo a notícia de Dária Korneitchuk para o Russia Beyond aqui.

*Fonte: por Dária Korneitchuk para o Russia Beyond 

*Imagem: Legion Media

Você também pode gostar de ler:

Entrevista com o Juiz Federal Dr. Vicente de Paula Ataide Junior sobre Direito Animal

Curso de Pós-Graduação Lato Sensu – Especialização em Direito Animal

Universidade Federal do Paraná (UFPR) idealiza Programa de Direito Animal



Deixe seu comentário