5 razões que mostram que testes em animais não fazem sentido

0

Com o avanço da ciência, os testes em animais ficam cada vez mais para trás. Pesquisadores estão descobrindo formas alternativas de realizar experimentos, seja com células-tronco ou impressões em 3D. Em um futuro próximo, não haverá mais desculpas para não usar métodos alternativos. Veja a seguir 5 motivos que demonstram que experimentos em animais já não precisam mais existir.

*Por Alexis Croswell para o One Green Planet

Existem empresas inteiras dedicadas à criação de animais utilizados para fins experimentais. Universidades, corporações e empresas desempenham um papel na perpetuação do uso de seres sencientes como sujeitos de pesquisa. Mas, não precisa ser assim. O futuro da pesquisa está se tornando mais humano a cada dia.

Nós não precisamos continuar testando em animais. A seguir estão cinco grandes razões para isso.

1) Existem tecnologias alternativas aos testes em animais

Há alternativas humanitárias por aí e elas estão se tornando mais precisas à medida que a ciência avança. Um exemplo de uma tecnologia desse tipo foi recém-desenvolvida e criada pelo professor James Hickman, da Universidade da Flórida Central, que imita a função muscular humana padrão. O sistema permite aos pesquisadores monitorar os músculos e sua resposta a diferentes tratamentos. E sem o uso de seres humanos ou animais.

Outro exemplo vem do estudante de doutorado em bioengenharia, Alan Faulkner-Jones. Ele começou a utilizar impressão em 3D para substituir os testes em animais.

As células tronco também são uma alternativa. Uma equipe de cientistas de Maryland está usando esse material biológico que pode se transformar em células de praticamente qualquer órgão do corpo. Eles acreditam que isso permitirá testar com mais precisão e rapidez os efeitos de uma toxina ou uma droga em uma pessoa, eliminando a necessidade de animais.

Organizações inteiras, como a Sociedade Antivivissecção da Nova Inglaterra – NEAVS (conheça aqui), o Comitê Médico para a Medicina Responsável – PCRM (saiba mais aqui), a Sociedade Nacional Antivivissecção – NAVS (veja aqui), a Sociedade Americana Antivivissecção – AAVS (acesse aqui), entre outras, dedicam-se à conscientização sobre testes em animais e ao apoio e desenvolvimento de alternativas humanas, que estão se tornando cada vez mais disponíveis.

Em breve, não haverá desculpa para não usar outras alternativas.

2) A conscientização do público sobre os testes em animais está crescendo

Agora é mais fácil do que nunca obter informações sobre quais produtos são testados em animais. Em alguns casos, é possível até mesmo saber como a pesquisa é realizada.

Podemos não conseguir eliminar todas as formas de testes em animais tão rapidamente quanto desejamos. Mas, podemos controlar o que compramos. Também está ao nosso alcance informar nossas universidades que não oferecemos suporte a testes em animais.

3) Produtos livres de ingredientes de origem animal e que não realizam testes em animais estão em ascensão

Sites como o Leaping Bunny (conheça aqui) e o mecanismo de busca da PETA (veja aqui) facilitam a descoberta de produtos que não são testados em animais. Marcas como a Lush divulgam abertamente sua posição contra os testes em animais e aumentam a conscientização.

4) Testes em animais não são eficazes: animais não humanos são análogos imperfeitos para o corpo humano

De acordo com o NAVS, as pessoas, em geral, têm uma expectativa de vida mais longa do que a maioria das espécies não humanas. Os seres humanos metabolizam substâncias de forma diferente e estão expostos a uma infinidade de fatores ambientais diversos ao longo de suas vidas. As doenças que se desenvolvem nas pessoas diferem de maneiras significativas a sintomas artificialmente impostos ou em animais que foram geneticamente modificados.

Há uma grande variedade de estudos e livros que demonstram o fraco elo entre os testes em animais não humanos.

5) Testes em animais não têm lugar no mundo moderno

Os animais têm o direito de viver em um mundo sem sofrer tanto quanto nós. Devemos saber, agora, que afirmar nosso domínio sobre outra espécie não nos faz parecer fortes, mas, sim, fracos, como se estivéssemos nos movendo para trás, não para frente.

Temos a capacidade de pesquisar e desenvolver alternativas mais precisas e humanas. Essas alternativas são o caminho do futuro. É hora de deixar os animais fora dos laboratórios do mundo.

Alexis Croswell é jornalista especializada em ciência pela Grand Valley State University. Já escreveu para o Mercy for Animals e Farm Sanctuary.

*Fonte: One Green Planet

*Imagem: divulgação

 

 



Deixe seu comentário