Proteína vegetal: a importância do consumo

0

Consumir proteína vegetal proporciona diversos benefícios à saúde. Pesquisas recentes mostram que a dieta baseada em vegetais melhora o peso corporal e reduz a gordura. A nutricionista Carolina Pimentel explica mais detalhes sobre o estudo no artigo a seguir e ressalta a importância de ingerir esse tipo de proteína.

*Por Carolina Pimentel

Já temos uma extensa literatura acerca dos benefícios da adoção de uma dieta vegetariana, principalmente, relacionados à melhora do perfil lipídico e na redução dos riscos cardiovasculares. No entanto, as pesquisas científicas sobre os benefícios da adoção da alimentação baseada em vegetais são mais recentes.

Recentemente, a Nutrition & Diabetes publicou uma interessante pesquisa sobre dieta baseada em vegetais em indivíduos com excesso de peso, investigando, principalmente, o papel da proteína vegetal.

Para tanto, os pesquisadores conduziram um ensaio clínico randomizado de 16 semanas. Eles testaram o efeito de uma dieta à base de plantas na composição corporal, na resistência à insulina. Investigaram também o papel da proteína vegetal nos resultados.

Os participantes com sobrepeso (n = 75) foram randomizados para seguir a dieta à base de vegetais (n = 38) ou controle (n = 37).

E existe diferença em ingerir proteína vegetal?

O estudo mostrou um resultado interessante. A dieta vegetariana estrita mostrou-se superior na melhora do peso corporal, gordura e marcadores de resistência à insulina. Apenas o grupo vegano apresentou reduções significativas no peso corporal, gordura e HOMA-IR.

Além disso, a diminuição na gordura foi associada com um aumento na ingestão de proteína vegetal e diminuição do consumo de proteína animal (r = -0,30, p = 0,011; e r = +0,39, p = 0,001, respectivamente).

Os pesquisadores encontraram, ainda, que a redução da porcentagem de ingestão de leucina foi associada a uma diminuição na gordura (r = +0,40; p <0,001), em modelos não ajustados e ajustados para mudanças no IMC (Índice de Massa Corporal) e no consumo de energia.

Além disso, a redução da ingestão de histidina foi associada a uma diminuição na resistência à insulina (r = +0,38; p = 0,003), também independente das alterações no IMC e no consumo de energia.

Portanto, para os autores, os resultados encontrados fornecem evidências de que a proteína vegetal, como parte de uma dieta à base de vegetais e a consequente limitação da ingestão de leucina e histidina estão associadas a melhorias na composição corporal e reduções no peso corporal e na resistência à insulina.

Carolina Pimentel é nutricionista e professora universitária. Autora do livro “Alimentos Funcionais: Introdução aos compostos bioativos”, realiza consultorias para o setor privado, com ênfase em alimentos, nutrientes, bioativos, dietas vegetarianas e estilo de vida saudável.

*Fonte: Carolina Pimentel

*Imagem: divulgação



Deixe seu comentário