Programa de Bial fala sobre encarceramento e venda de animais

0

O apresentador Pedro Bial iniciou o programa da Rede Globo Conversa com Bial (no ar de segunda a sexta, após o Jornal da Globo) desta terça-feira dizendo: “No circo, herói era quem estalava o chicote no lombo de leões, tigres e outras feras, levando o público ao delírio. Mas hoje, isso perdeu a graça e poucos acham aceitável esse exibicionismo de supremacia humana, esse tipo de heroísmo, que virou covardia.

Os circos tiveram que se virar sem bichos, mas animais continuam presos pra divertir pessoas em zoológicos, aquários, rodeios e até dentro de casa. Será que faz sentido no século 21 um gorila na jaula, um urso num tanque de água, pássaro na gaiola, peixe no aquário?”, finalizou Bial.

Pra debater o assunto da noite, encarceramento animal, foram convidadas a geógrafa e educadora ambiental Elizabeth MacGregor, da FNPDA (Fórum Nacional de Proteção e Defesa Animal), Mara Marques, bióloga da Sociedade Paulista de Zoológicos e o ator João Vicente de Castro, embaixador da AMPARA Animal.

Mara defendeu a existência dos zoológicos com fins para estudos em determinado momento: “O Zoológico não é mais para a exibição animal. As pessoas não sabem o papel do Zoológico, que é para pesquisa e conservação”.

Já Elizabeth comentou em um dos trechos: “Cresci em fazenda, mas minha mãe sempre me chamou a atenção para essa questão do sofrimento animal. Trabalhei mais de 15 anos numa ONG britânica, que me deu uma vivência de ver a questão animal em outros continentes”.

O ator João Vicente falou sobre o seu amor e respeito pelos animais: “Eu nasci amando bicho, mas isso foi se transformando. Sempre me interessei pelo assunto e sempre passei férias em fazendas do Sul, porque minha família é de Passo Fundo. Eu não entendia porque o cachorro era amigo e a vaca era propriedade. Fui aos poucos aprendendo a respeitar os animais, até que encontrei a AMPARA Animal, uma OSCIP séria. Eles foram me guiando a respeitar os animais. Aos poucos, fui parando de comer carne, de comprar couro, fui fazendo uma mudança que fazia muito sentido para a minha luta. E hoje em dia, eu tento usar meu espaço para dar voz a esses que não têm voz.”

João Vicente também é a favor do fim da venda animal e diz que só tem cachorro em casa porque existem muitos na rua. “Não vale comprar cachorro em loja. É um crime, é fabricação de vida, comercialização de alma”.

Assista à matéria do Gshow aqui.

Fonte: Gshow

Imagem: Carol Caminha/TV Globo



Deixe seu comentário