Veja quais plantas tóxicas devem ser evitadas em casa para proteger os animais de estimação

0

As plantas decorativas ou ornamentais podem ser nocivas aos animais de estimação. Neste artigo da Antena Crítica, descubra aquelas que podem causar graves danos ou até mesmo a morte de cães e gatos de estimação.

*Por redação Antena Crítica

Muitas plantas decorativas ou ornamentais são tóxicas, isso mesmo, causam intoxicações nos animais de estimação. Para alertar os donos dos bichos sobre esses riscos, quatro grupos de alunos da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo (USP), realizaram uma pesquisa. Eles foram a clínicas veterinárias de São Paulo para verificar quais delas mais causam intoxicações em animais de estimação.

O resultado foi a elaboração de uma lista com 16 plantas tóxicas. No rol estão antúrio, avenca, azaleia, bico-de-papagaio, comigo-ninguém-pode, copo-de-leite, coroa de cristo, espada-de-são-jorge, espirradeira, fumo bravo, lírio, lírio-da-paz, maconha, mamona, tomate verde e violeta.

Descubra as quatro plantas que mais causam intoxicação em animais de estimação

Entre as quatros plantas que mais causam intoxicação, a campeã absoluta de ingestão por cães e gatos é a comigo-ninguém-pode (Dieffenbachia sp). Muito comum em casas e apartamentos, ela é apreciada pelas pessoas por causa da beleza de sua folhagem e a facilidade de cultivo. Existe também uma crença popular de que ela traz proteção ao lar.

O oxalato de cálcio e outras substâncias presentes na planta irritam as mucosas dos animais. O envenenamento pode ocorrer por ingestão de qualquer parte da planta, contato com os olhos ou a pele. Os sintomas variam desde edema (inchaço), irritação da mucosa até mesmo asfixia e morte, sempre com dor intensa.

A azaleia é a mais comum na cidade de São Paulo. Ela é responsável por um grande número de casos de intoxicação de animais domésticos. Seu princípio ativo é a andromedotixina, uma substância cuja ingestão pode causar distúrbio digestivos até seis horas após o animal ter comido a planta. Além disso, ele causa alterações no débito cardíaco (volume de sangue que é bombeado pelo coração em um minuto).

A espada-de-são-jorge (Sansevieria trifasciata), também muito cultivada devido à crença de que traz prosperidade, contém glicosídeos pregnânicos e saponinas esteroidais. Substâncias que causam dificuldade de movimentação e de respiração, devido à irritação da mucosa e salivação intensa.

O lírio-da-paz (Spathiphyllum wallisii) é outra tóxica para os bichos. Os sintomas de envenenamento incluem irritação na boca e nos olhos, coceira, dificuldade de engolir e, nos casos mais graves, até de respiração. Além disso, podem ocorrer alterações neurológicas e das funções renais.

Embora sejam as que causam a maioria dos casos de intoxicação, essas quatro plantas não são as mais venenosas. Entre as mais tóxicas está a espirradeira (Nerium oleander). Apesar de acontecer muito raramente, sua ingestão por cães e gatos causa arritmia, vômito, diarreia, ataxia (perda da coordenação muscular), dispneia (respiração rápida e curta), paralisia, coma e até a morte.

Esses sintomas podem ser observados entre 1 e 24 horas após sua ingestão. Por isso é bom evitar e/ou tomar o máximo de cuidados com essas plantas para não prejudicar seu animalzinho.

Caso seu bichinho apresente qualquer sintoma que o proprietário suspeite ser causado por ingestão de uma planta, ele deve ser encaminhado a uma clínica. Se conseguir identificar qual foi a espécie ingerida, é importante levar uma amostra ao profissional.

*Fonte: Antena Crítica

*Imagem: divulgação



Deixe seu comentário