Uso de peixes para alimentar outros da mesma espécie está destruindo a natureza

0

Um relatório publicado pela Changing Markets Foundation mostrou que o uso de peixes para alimentar outros da mesma espécie, e que vivem em cativeiros, está causando diversos danos ambientais e sociais. Muitos animais marinhos podem entrar em colapso, caso o sistema conhecido como aquacultura continue.

*Por Redação para o Plant Based News

O uso de peixes selvagens como alimento para peixes de criação está causando enormes danos ambientais e sociais, de acordo com um novo relatório.

O estudo “Até que os mares sequem: como a aquacultura industrial está saqueando os oceanos” (acesse aqui), mostra como milhões de toneladas de peixes estão sendo capturadas da natureza todos os anos para produzir farinha e óleo de peixe (FMFO), que são ingredientes-chave na alimentação de peixes de viveiro.

Isso está ameaçando a segurança alimentar e colocando em risco a vida marinha, diz o relatório publicado pela Changing Markets Foundation, elaborado pelo grupo Feedback e Compassion in World Farming. A organização analisa as últimas pesquisas científicas sobre o impacto da pesca de redução transformados em FMFO e a falta de transparência e sustentabilidade no setor de alimentos.

Relatório sobre alimentações de peixes em viveiros mostra preocupações graves

O relatório destaca ‘preocupações graves’ em torno dos impactos causados por FMFO, e apela pelo fim desta prática.

“A aquicultura é o setor de produção de alimentos que mais cresce no mundo. Além disso, os projetos da FAO fornecerão 60% do consumo mundial de peixe até 2030. Isso vai aumentar significativamente sua participação atual de pouco mais de 50%”, diz o relatório.

“Paradoxalmente, a indústria é fortemente dependente de peixes selvagens com mais de 69% da farinha de peixe e 75% da produção de óleo de peixe usada para alimentar esses animais. O mercado mundial de farinha de peixe valia cerca de US $ 6 bilhões em 2017. A previsão é que atinja US $ 10 bilhões (€ 8,9 bilhões) até 2027”, pontua o documento.

A indústria de alimentos para aquacultura não está apenas tendo impacto na segurança alimentar e no meio ambiente marinho. Mas, também, está impulsionando a pesca predatória e ilegal, além de cometer abusos sociais em operações de pesca silvestre.

Confira a nova campanha da Compassion In World Farming sobre esse alerta:

Uso de peixes selvagens como alimento de peixes em viveiros: relatório destaca que ação urgente é necessária

“São necessárias medidas urgentes para aumentar a transparência e a sustentabilidade na cadeia de fornecimento da indústria de alimentos para animais, e retirá-la completamente da dependência de peixes capturados na natureza”, argumenta Natasha Hurley, gerente de campanha da Changing markets Foundation.

“A abordagem da indústria da aquicultura à farinha de peixe e petróleo está esgotando perigosamente os recursos do oceano. Além de ameaçar a integridade dos ecossistemas marinhos. A indústria está buscando alternativas de proteínas sustentáveis. Mas, não rápido o suficiente para evitar consequências potencialmente catastróficas para o oceano”, acrescentou Carina Millstone, Diretora Executiva da organização .

Peixes em viveiros e o bem-estar animal

Há fatores adicionais a serem considerados, como ressalta o Dr. Krzysztof Wojtas, Chefe da Política de Peixes da Compassion in World Farming. “Ao considerar as consequências negativas do uso de peixes capturados em meio selvagem para a FMFO, não devemos esquecer o enorme impacto que essas indústrias têm no bem-estar animal”, disse Wojtas.

“À medida que a aquicultura industrial cresce, o número de animais que sofrem nesses sistemas intensivos se multiplica e traz outra camada oculta. A maioria das pessoas não está ciente do sofrimento adicional de centenas de bilhões de peixes pequenos que morrem horrivelmente em enormes embarcações de pesca industriais, a fim de abastecer essas fazendas industriais submarinas. A indústria precisa enfrentar urgentemente essa crise”, reforça.

*Fonte: Plant Based News

*Imagem: divulgação



Deixe seu comentário