Orca Katina está ferida e PETA solicita ao SeaWorld que envie os animais para santuários

2

A orca Katina está com a barbatana dorsal aberta. A lesão, que pode ser fatal, surgiu após o embate com outros animais que estão no mesmo espaço reservado para ela no SeaWorld, em Orlando.

*Por PETA

Como mostra a imagem (crédito: © Heather Murphy, Notícias dos Advogados do Oceano), a ferida é profunda e parece que uma grande parte da barbatana está faltando. As barbatanas dorsais das orcas têm uma extensa rede de vasos sanguíneos. São eles que ajudam os animais a regularem a temperatura corporal.

Embora se saiba que as orcas selvagens sobrevivem a traumas graves em suas barbatanas dorsais – como as causadas por hélices de barcos – para os animais que vivem em cativeiro, a cura é mais difícil.

Feridas grandes e abertas deixam as orcas particularmente suscetíveis a infecções. E são justamente as infecções as principais causas de morte entre as orcas cativas. A vida de Katina depende de sua cura imediata.

Orca Katina entrou em embate com membros do mesmo tanque

Falsamente, o SeaWorld alega que os embates entre as orcas é “um comportamento natural”. Mas a empresa sabe que a agressão raramente é vista entre animais da espécie na natureza.

As orcas em cativeiro geralmente lutam com os demais membros do grupo por que foram retiradas de suas casas e amontoadas em minúsculos tanques de concreto sob condições estressantes e com estranhos que, normalmente, nem sequer falam o mesmo dialeto.

Se estivesse na natureza, a orca Katina estaria supervisionando a família. Ela ensinaria seu grupo a navegar, falar um dialeto distinto e encontrar comida em tempos de escassez.

Fundação Peta pede liberdade para orca Katina e demais animais

O veterinário da Fundação PETA, Dr. Heather Rally, divulgou a seguinte declaração para a mídia:

“O SeaWorld afirma que mantém as orcas em espaços reservados para famílias. Mas, na realidade, esta matriarca é mantida em um pequeno tanque de concreto com outras cinco orcas – das quais apenas 3 são parentes dela. Ela sofreu muito quando um grande pedaço de sua barbatana dorsal foi arrancado.

Embora a agressão raramente seja vista entre familiares na natureza, feridas como a da orca Katina são uma consequência muito comum quando animais selvagens são forçados a conviver em grupos não naturais e em tanques minúsculos incompatíveis.

Como sua vida depende de o fato da ferida ser curada, a Fundação PETA solicita mais uma vez que o SeaWorld envie as orcas para santuários à beira-mar. Lá elas poderão ter uma vida mais segura e natural”.

A Fundação PETA vai apresentar uma queixa exigindo que o Departamento de Agricultura dos EUA investigue possíveis violações da Lei Federal de Bem-Estar Animal. Há também uma campanha online para que o SeaWorld esvazie já os seus tanques, envie as orcas para santuários marítimos e pare com exploração de animais. Você também pode participar assinando. Clique aqui.

*Fonte: PETA – SeaWorldofHurt

*Imagem: © Heather Murphy, Notícias dos Advogados do Oceano



Discussão2 Comentários

Deixe seu comentário