Ativistas realizam manifestação pela morte de cão no Carrefour

0

No último sábado (08), ativistas protestaram pela morte de um cão no Carrefour de Osasco, região metropolitana de São Paulo. O ato foi organizado por meio do Facebook e tinha mais de 12 mil pessoas confirmadas na página do evento. Devido à presença em massa dos manifestantes, o supermercado não abriu no dia.

A manifestação teve o objetivo de pressionar a rede para tomar providências firmes em relação ao assassinato de Manchinha, como era conhecido o cachorro que morreu em 28 de novembro, por suspeita de maus-tratos por um segurança da empresa (veja mais sobre o caso aqui).

cão-no-CarrefourMuitos manifestantes levaram seus cães para o protesto e carregavam cartazes, com dizeres de indignação pela crueldade cometida contra o animal. Alguns estavam vestidos de preto, em sinal de luto. Diversos carros e transeuntes que passavam pelo local foram abordados pelos ativistas, para conscientizá-los sobre o crime.

Houve manifestações em diversas regiões do Brasil, como no Distrito Federal, Campinas, Curitiba, Recife, entre outros. Os atos foram realizados em frente às lojas do Carrefour.

Morte de cão no Carrefour: rede de supermercados dcide tomar providências

Após os protestos pelo país, a empresa multinacional divulgou uma nota em suas redes sociais. Na declaração, o Carrefour menciona que se reuniu com ONG’s para tomar medidas em prol da causa animal. A rede informa que revisará seus procedimentos internos para encaminhar animais abandonados, assim como fará uma revisão dos treinamentos de todos os seus colaboradores e prestadores de serviços.

A empresa afirma também que realizará feiras de adoção pelo Brasil e que vai ajudar a melhorar a estrutura de equipamentos do Centro de Controle de Zoonoses de Osasco. O Carrefour cita, ainda, que promoverá um evento anual, no dia 28 de novembro, em memória ao cão morto, com ações de conscientização da importância da causa animal aos seus funcionários, em conjunto com a sociedade. Para conferir a nota na íntegra, clique aqui.

Morte de cão no Carrefour: rumo das investigações

O segurança acusado de agredir o animal prestou depoimento à polícia. Em sua declaração, o homem disse que quis espantar o cachorro com a barra de alumínio, mas que não tinha intenção de feri-lo. Ele revela que só percebeu que havia machucado Manchinha quando avistou o sangue (leia mais aqui). O funcionário está em liberdade no momento, mas deve responder por abuso a animais, de acordo com o que está previsto no artigo 31 da lei 9.605/98, de Crimes Ambientais. A pena prevê de três meses a um ano de detenção.

A Delegacia de Investigações sobre o Meio Ambiente ainda está ouvindo testemunhas e deve concluir as investigações nesta semana. O caso deverá ser encaminhado ao Poder Judiciário.

Morte de cão no Carrefour gera repercussão nacional

cão no Carrefour O crime contra o cachorro chamou a atenção de todo o Brasil na última semana e ganhou espaço em várias mídias, inclusive na Rede Globo. No último domingo (09), o programa Fantástico, de grande alcance em todo o país, veiculou uma matéria sobre o caso, com imagens do protesto ocorrido em Osasco. Confira a reportagem aqui.

 Mais protestos serão realizados pela morte de cão no Carrefour

Ativistas da causa animal estão se organizando para a realização de mais manifestações pelo Brasil no próximo fim de semana. Para obter mais informações sobre os próximos protestos, acesse aqui.

*Fontes: G1; R7; Metrópoles; Veja; JC Online; Grande Manifestação – Cão espancado no Carrefour Osasco; Carrefour

*Imagens: Grande Manifestação – Cão espancado no Carrefour Osasco



Deixe seu comentário