Greve de caminhoneiros provoca extremo sofrimento aos animais nas estradas e fazendas

0

A greve de caminhoneiros está causando extremo sofrimento aos animais por todo o Brasil. Desde segunda-feira (21), quando a paralisação começou, diversas fazendas passaram a ficar sem alimentos suficientes para fornecer a aves, porcos, bois, vacas, entre outros. Muitos deles estão morrendo nas estradas, por estarem presos nos veículos e nas propriedades rurais, por falta de alimento.

Mesmo após o acordo com o Governo Federal realizado na noite desta quinta-feira (24), muitos caminhoneiros ainda continuam paralisados nas principais rodovias federais do País, mantendo o bloqueio de veículos em algumas estradas.

Extremo sofrimento aos animais: confira como a greve afetou espécies variadas pelo Brasil ao longo da semana:

– ABPA divulga nota pedindo a liberação de veículos com animais

A ABPA (Associação Brasileira de Proteína Animal) publicou uma nota nesta quinta-feira (24), pedindo a liberação de veículos com animais. De acordo com a associação, alguns dos animais estão sem se alimentar há mais de 50 horas.

Segundo a ABPA, a paralisação causou falta de insumos nos criatórios e nas pequenas propriedades, colocando os animais em iminente risco de fome. “A cadeia produtiva da avicultura e da suinocultura do país iniciou esta quinta-feira com 120 plantas frigoríficas paradas – produtoras de carne de frango, perus, suínos e outros. Mais de 175 mil trabalhadores estão com atividades suspensas em todo o país”, declarou em nota a ABPA.

Para o órgão, ainda levarão semanas para que a situação volte ao ritmo normal em algumas unidades.

*AVISO: A imagem a seguir contém animais mortos.

– Porcos morrem por falta de ração no Mato Grosso

De acordo com a ACRISMAT (Associação dos Criadores de Suínos de Mato Grosso), 100 porcos morreram no Estado por inanição devido à falta de ação. A associação chegou a entrar com uma liminar na Justiça, pedindo a liberação dos veículos com rações e animais vivos.

extremo sofrimento aos animais

– Órgãos de Santa Catarina declaram que animais passam fome e que greve pode causar impacto sanitário

O Sindicarne (Sindicato das Indústrias da Carne e Derivados no Estado de Santa Catarina) e a Acav (Associação Catarinense de Avicultura) publicaram uma nota informando que os estabelecimentos rurais deixaram de receber ração. Com isso, foi preciso adotar uma restrição alimentar aos animais.

Segundo as entidades, milhões de litros de leite precisaram ser descartados. Os órgãos afirmam ainda que há ameaça de perda massiva de ativos biológicos com início de mortandade nas principais regiões produtoras.

Conforme a nota, Santa Catarina possui um plantel de 5 milhões de suínos e 118 milhões de aves. Com a paralisação, entraram em regime de sobrevivência, possibilitando impactos de ordem sanitária.

Aves estão cometendo canibalismo em Minas Gerais

De acordo com a Avimig (Associação Mineira de Avicultores), muitas aves do interior de Minas Gerais estão sofrendo com a falta de ração. Devido ao estresse por estarem aglomeradas, algumas começaram a bicar as penas umas das outras. Desta forma, surgiram ferimentos graves, que podem levá-las à morte. Segundo o diretor da Avimig, Claudio de Almeida Faria, muitas aves estão cometendo canibalismo.

De acordo com Claudio Faria, 36 mil frangos estão morrendo por hora em algumas unidades de criação em Minas Gerais. Isso está acontecendo desde o início da paralisação. A entidade ingressou com um pedido de liminar à 5ª Vara da Justiça Federal, em Belo Horizonte. Foi solicitado para que liberassem a passagem de caminhões com rações e insumos.

A greve dos caminhoneiros tem seus reais motivos, mas os animais, que são sencientes (sentem) e estão nas estradas, dependendo de transporte para saírem das fazendas e para comerem, estão sofrendo. Muitos deles, estão morrendo por falta de comida, estresse, confinamento. Toda ação que prejudica seres vivos perde a força.

O portal Mimi Veg se junta às milhares de pessoas que imploram em nome dos animais: por favor, liberem os caminhões que estão nas estradas com animais, aqueles que estão transportando alimentos para os animais das fazendas e os que realizarão o transporte de animais para fora das fazendas. Mesmo sabendo o destino final desses animais, eles têm direitos e não merecem morrer desta forma. Compaixão, por favor!

*Fontes: Agência BrasilG1Band; EM; Canal Rural.

*Imagens: divulgação (de capa);  Suinobras / divulgação (porcos mortos)



Deixe seu comentário