Gata se recusa a sair do lado de idosa prestes a falecer

0

Uma história comovente ocorreu na Flórida – EUA. A gata Trooper foi destaque nas redes sociais, após desenvolver um laço de amizade e amor com a matriarca de sua família, Whaley, de 96 anos. Quando ela ficou doente, Trooper cuidou dela até seus últimos dias, se recusando a sair de perto da mulher. Whaley faleceu e a gata sofreu muito. Confira o episódio que emocionou a internet.

*Por Elizabeth Claire Alberts para o The Dodo

A gata Trooper amou uma mulher mais do que ninguém no mundo: Sarah Whaley, de 96 anos de idade.

Em 2014, Alexis Hackney e sua família encontraram Trooper enquanto visitavam uma casa para revendê-la (prática muito comum nos EUA), quando ouviram um miado vindo do porão e foram investigar.

“Ela estava escondida em um buraco na parede, e minha mãe e irmã tiveram que arrumar uma marreta, quebraram o muro e a levaram”, disse Hackney ao The Dodo. “Ela tinha cerca de 2 semanas de idade. Seus olhos mal estavam abertos”.

gata

Eles não conseguiram encontrar a mãe de Trooper. Então, levaram a pequena gatinha para a casa deles em Tallahassee – Flórida, que compartilhavam com Whaley, a avó de Hackney.

“Minha avó morou conosco por 18 anos”, disse Hackney. “Ela se mudou para cuidar de mim e de minhas irmãs quando éramos pequenas. Ela era definitivamente uma parte importante da nossa casa. Era a matriarca.”

Amor à primeira vista: a conexão imediata entre Whaley e a gata

Não só Whaley adorava seus netos, mas também amava os gatos da família. E ela formou um vínculo particularmente estreito com Trooper.

gata

“Minha avó alimentava a gata e ficava sentada, conversando com ela e dizendo o quanto era fofa e doce”, disse Hackney. “Trooper é o tipo de gata que tem uma pessoa, e essa era definitivamente minha avó.”

Enquanto todo mundo podia ver o quanto Trooper adorava Whaley, e esta amava a gata, a família não teve uma noção verdadeira da conexão, até que a avó ficou muito doente.

“Minha avó começou a declinar mais próximo do Natal, e percebemos que Trooper estava lá o tempo todo”, disse Hackney.

gata

Gata cuidava de Whaley o tempo todo

A gata dormia, principalmente, na cama com Whaley e trazia presentes de toda a casa.

“Ela nunca pegava brinquedos e os espalhava pela casa ou qualquer coisa. Mas, quando minha avó não podia mais se mover tanto, ela levava coisas para ela – o que ela encontrasse no chão, como meias ou um canudo”, disse Hackney.

“Quando Whaley começou a ficar cada vez mais doente, a gata aumentou a quantidade de coisas que estava trazendo. Ela ia ao quarto do meu irmão e pegava as meias dele e as transportava para o andar de baixo. Você poderia apenas olhar nos olhos dela e dizer que ela sabia o que estava acontecendo. Ela estava muito chateada com isso ”, acrescentou Hackney.

gata

Às vezes, Whaley tinha um ataque de pânico, e Trooper se apressava para estar ao seu lado e consolá-la.

“Trooper corria, pulava na cama, e a acariciava, para minha avó se acalmar”, disse Hackney. “Quando minha avó começou a chegar ao ponto em que não podia mais se comunicar, acho que ter Trooper lá foi definitivamente um calmante para ela.”

E nada parecia afastar Trooper para longe da cabeceira de Whaley.

gata

Morte de Whaley: tristeza sem fim

“Quando minha avó estava passando pelo processo de falecimento, ela ficou muito desorientada”, disse Hackney.

“Trooper estava sempre ao lado dela. Minha avó acidentalmente a acertava ou a apertava com força, e a gata nunca reagia. Ela só esperava que minha avó se acalmasse, e, assim, voltava direto para a cama com ela. Se tivéssemos interrompido, tudo estaria terminado. Teria sido uma bagunça sangrenta, mas ela amava a minha avó, e nunca a arranhou ou mordeu.”

“Trooper amava tanto a minha avó! Você notava pela maneira como a gata olhava para ela quando estava doente”, acrescentou Hackney. “O coração partia ao ver toda essa dor em seus olhos.”

Quando Whaley faleceu em março, alguns dias antes de seu aniversário de 97 anos, Trooper estava inconsolável.

“Ela não queria ficar perto do corpo da minha avó”, disse Hackney. “Eu a levei para lá, para mostrar a ela que a vovó iria voltar… Porque, se eles não sabem, vão procurá-los, e eu queria que ela entendesse que nossa avó não estava mais lá. Mas, ela fugiu e ficou debaixo da cama dos meus pais. E depois que eles retiraram o corpo de Whaley da residência, ela parou de comer. Ela não é uma gata muito vocal, mas ficava andando pela casa chorando o tempo todo”.

Trooper está muito melhor agora, explicou Hackney, embora ainda entre no quarto de Whaley e deixe meias e outros objetos no chão. “Você pode observar que ela definitivamente sente falta da vovó”, disse Hackney.

gata

História se tornou viral nas redes sociais

Hackney recentemente compartilhou a história do vínculo de sua avó com Trooper em uma página do Facebook chamada Cool Cats Group – e o post se tornou viral.

“Eu acho que os gatos têm uma reputação muito ruim quando se trata de pessoas que não pensam que eles realmente nos amam”, disse Hackney.

“Então, quando eu vi Trooper tão dedicada e fiel à minha avó, eu realmente quis compartilhar isso, porque as pessoas não entendem que os gatos podem não ser como os cachorros, mas, eles definitivamente têm emoção e sentimentos, e nos adoram muito. Eles não são tão bons em expressar isso, da mesma forma que os cachorros fazem, mas, eles definitivamente nos amam”.

*Fonte: The Dodo

*Imagens: Arquivo pessoal de Alexis Hackney



Deixe seu comentário