John Galliano abandona o uso de peles de animais e diz que se tornou vegetariano

1

O ícone da moda, John Galliano, revelou que não fará mais uso de peles de animais em suas confecções. O estilista falou à revista “Elle” e contou sobre um encontro recente com Dan Mathews, vice-presidente da PETA – People for the Ethical Treatment of Animals, de quem é amigo de longa data. A entrevista foi publicada na última sexta-feira.

* Por Katherine Sullivan para a PETA

“Eu estava nadando no mar com Penélope Cruz em Saint-Tropez. Então, eu vi o Dan sair da água. Eu conhecia o trabalho da PETA e os respeitava, mas sua reputação os precedia”, contou Galliano.

Quando perguntado sobre como eram tratados os animais para retirada de pele, Mathews contou à revista: “São necessários 100 chinchilas para fazer um casaco. Eles são mortos na China, onde as leis são fracas. É um banho de sangue. Eles são eletrocutados e suas condições de vida são abomináveis”.

Ao ser questionado porque a pele estava associada ao luxo, Galliano respondeu: “Era autenticidade. Hoje, não queremos um produto, queremos ética, uma empresa que defenda os valores que admiramos”.

O encontro casual de Galliano e Mathews deu início a uma evolução na vida do estilista que, além de abandonar o uso de peles de animais, também se tornou vegetariano.

“Minha vida é mais equilibrada. Eu realmente me tornei vegetariano para entrar em forma. Eu pratico esportes e cuido de mim. A energia que recebo por ter menos toxinas no meu corpo é extraordinária. A pressão na indústria da moda é a mesma, mas agora eu sei como me afastar e meditar. Minha vida passou do preto para o branco”, falou Galliano.

Uso de peles de animais para roupas está em decadência

Em 1999, o estilista convidou Mathews para ir à sua casa em Paris onde discutiram o uso de peles de animais. Em seu livro “Committed: A Rabble-Rouser’s Memoir”, Mathews detalhou o encontro e lembrou que Galliano havia dito que não gostava de usar peles, mas se sentia pressionado por aqueles que financiavam sua empresa.

Os tempos agora são outros. No mês passado, Donatella Versace anunciou que também retirará as peles das próximas coleções de sua grife. Estas vitórias são sinais de que os tempos estão se transformando.

A retirada da pele dos animais é de extrema crueldade. Coelhos, raposas e outras espécies são amontoadas em gaiolas de metal e muitos enlouquecem devido ao confinamento extremo. Na China, os guaxinins são espancados com tubos de aço e deixados para morrer lentamente.

Galliano, Versace, Michael Kors e Gucci são marcas que não estão sozinhas. Outros grandes nomes da moda internacional abandonaram o uso de pele de animais, incluindo Giorgio Armani, Hugo Boss, Ralph Lauren, Stella McCartney e Tommy Hilfiger.

Mas, nem todas as notícias são boas. Os animais continuam sofrendo com o comércio de peles porque marcas como a Dolce & Gabbana se recusam a parar de lucrar com essa indústria, apesar de seus concorrentes já terem deixado essa prática para trás.

Participe da campanha que pede para que a Dolce & Gabbana pare de vender roupas com peles de animais. Clique aqui para enviar sua mensagem de repúdio à empresa.

*Fonte: por Katherine Sullivan para a PETA

*Imagem: ©StarMaxInc.com



Discussão1 Comentário

Deixe seu comentário