Exportação de gado vivo no Brasil: ativistas, parlamentares e MP dão seu parecer

0

O tema exportação de gado vivo no Brasil continua em discussão. Ativistas, parlamentares e todos que trabalham incansavelmente pelo bem-estar e direitos dos animais estão empenhados e atuando em várias frentes.

No último dia 9 de maio, o Procurador Regional da República, Sérgio Medeiros, emitiu um parecer do Ministério Público Federal mostrando como essa prática é cruel e totalmente desnecessária em nosso país. “É urgente, além de moralmente importante entender e assumir que todos os animais têm algum grau de senciência e negar essa condição sem nenhuma argumentação embasada torna o confronto com questões morais e éticas individuais, inevitável”, disse Medeiros.

*Por Leandro Machado para a BBC Brasil

A exportação de gado vivo no Brasil havia sido proibida recentemente. Mas, após intervenção da Advocacia-Geral da União e do Ministério da Agricultura, a prática foi retomada.

Por este motivo, o Fórum Nacional de Proteção e Defesa de Animal, entre outras entidades e representantes da causa animal, entraram com novos recursos pedindo a proibição da exportação no país. Os defensores afirmam que os animais têm direitos e precisam ser respeitados.

Exportação de gado vivo no Brasil: ativistas comentam

Feliciano Filho (PRP), presidente da CPI e parlamentar que trabalha  em prol dos direitos animais disse: “Como pode o governo federal se render e agir para beneficiar uma única empresa?”, em referência ao caso do navio Nada.

Letícia Filpi, advogada e vice-presidente da Associação Brasileira de Advogados Animalistas (ABRA), comentou, entre outros assuntos: “A legislação permite que você mate um animal para comê-lo, mas a Constituição proíbe que você faça isso com crueldade”.

Em entrevista à BBC Brasil, a jornalista Silvana Andrade, presidente da Agência de Notícias de Direitos Animais (ANDA) desconstrói o argumento do governo federal sobre possíveis prejuízos à economia brasileira:

“Esse argumento é falacioso, o mercado de gados vivos é uma pequena parcela da carne que o Brasil produz. O país não pode ter uma economia baseada na crueldade”, conta.

Elizabeth MacGregor, diretora do Fórum Nacional de Proteção e Defesa de Animal, fala sobre o caso do navio Nada. A embarcação chegou a ser barrada no porto de Santos, mas depois foi liberada (leia aqui) para seguir viagem.

“Antes, a população e a maioria dos veterinários desconheciam completamente este tema. Quando você fala em meio ambiente, precisa falar em pecuária, porque ela causa grande impacto, com desmatamento, poluição, flatulência dos animais”, diz ela, que é vegetariana e milita pelos direitos dos animais desde a década de 1990.

O tema vem causando indignação e está sendo discutido com profundidade. Na próxima quarta-feira, 23, acontece a audiência pública sobre Exportação Marítima de Gado Vivo, a partir das 10h. O evento será na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo.

O parecer do Procurador Regional da República Sérgio Medeiros, que defende os animais e inicia sua declaração com uma oração de São Francisco, está disponível para leitura. Para acessá-lo, clique aqui.

Acesse a matéria completa da BBC Brasil aqui.

A sociedade precisa se posicionar para impedir a extrema crueldade presenciada em toda a logística que envolve a exportação de animais vivos no Brasil.

*Fonte: BBC Brasil

*Imagem: Magda Regina



Deixe seu comentário