Dieta vegetariana estrita no tratamento da dor mamária

0

A dor mamária afeta diversas mulheres e pode ser um sinal de uma menstruação vindoura ou indicar, inclusive, alguma doença. Estudos comprovam que adotar uma dieta vegetariana estrita auxilia na redução das dores nessa região do corpo. A especialista Karla Santone, médica especializada em nutrologia e mastologia, explica mais sobre essa condição e ensina como aliviar esses sintomas.

*Por Karla Santone

A dor nas mamas, também chamada de mastalgia, é uma condição muito comum entre as mulheres, podendo ser confundida com câncer de mama, o que gera muita ansiedade. Podemos dividir a mastalgia em cíclica ou acíclica. A mastalgia cíclica tem relação com o ciclo menstrual e, provavelmente, resulta das flutuações mensais dos níveis de estrógeno e progesterona.

Embora cause muito desconforto, raramente está associada ao câncer de mama (menos de 2% dos casos). O que acontece é que, alguns dias antes da menstruação, as mamas podem inchar, ficando doloridas, sensíveis e irregulares. Os sintomas desaparecem quando a menstruação termina.

O estresse emocional pode estar envolvido no aparecimento e agravamento dos sintomas. Uma alimentação rica em gordura com elevados níveis de ácidos graxos saturados pode aumentar a sensibilidade do tecido mamário aos hormônios circulantes, o que resulta em dor, mesmo com níveis hormonais normais.

A dor mamária acíclica, que não está relacionada com o ciclo menstrual, geralmente, é um sintoma de um problema específico como cistos, trauma, ou um tumor benigno que pode afetar uma mama ou ambas. Outras causas podem ser apontadas como mastalgia, porém, têm sua origem fora da mama. São condições que afetam os músculos peitorais, as costelas, o esterno ou estruturas dentro do peito.

Marque uma consulta com uma especialista se a dor:

– Persiste diariamente por mais que 2 semanas.

– Ocorre em uma área específica da mama.

– Parece estar piorando com o tempo.

– Interfere as atividades diárias.

Como a dieta vegetariana estrita alivia a dor mamária

A mastologista poderá colher uma história cuidadosa para tentar afastar quaisquer condições fora das mamas. Assim como irá examinar as mamas, axilas e parede torácica, avaliar seu risco de câncer de mama e pedir os exames necessários.

Além disso, algumas medidas simples podem ajudar quem sofre com a mastalgia cíclica:

– Usar um sutiã confortável, firme, sem aros, como os tops de ginástica, inclusive para dormir quando a dor for muito severa.

– Alguns estudos mostram que uma alimentação com baixa ingestão de gorduras (entre 15 a 20% do total de calorias diárias) pode reduzir a sensibilidade e inchaço das mamas.

– Adicionar semente de linhaça na dieta. Ela é uma fonte de ácido graxo ômega 3 e se mostrou efetiva no alívio dos sintomas. Deve ser considerada como essencial no tratamento da mastalgia.

– Diminuir a ingestão de café pode ser uma alternativa, mas não há comprovação do benefício.

– Evitar o stress e a tensão emocional, pois aumentam os níveis de prolactina (hormônio).

– Praticar exercícios físicos.

– Fazer compressas de água quente sobre as mamas por 15 minutos e massagens circulares.

– Usar óleo de prímula também pode ajudar.

Estudos mostram que a dieta vegetariana estrita pode reduzir a dor mamária

Pesquisadores desenharam um estudo no qual eles colocaram 33 mulheres, que tinham uma dieta onívora e comiam carne, em uma dieta vegetariana estrita com baixa ingestão de gorduras por 3 ciclos menstruais.

Para os ciclos seguintes, elas voltariam a seguir a dieta habitual enquanto tomavam um comprimido de placebo. Entretanto, as mulheres se sentiram tão bem com a nova alimentação que muitas se recusaram a voltar à dieta habitual.

Os pesquisadores concluíram que uma dieta vegetariana estrita pode oferecer alívio da dor nas mamas, assim como uma significativa diminuição nos sintomas pré-menstruais, redução nas cólicas menstruais e na retenção hídrica.

Karla Santone é médica especializada em nutrologia e mastologia. Atualmente, foca seus estudos na alimentação e saúde, sobretudo em relação aos efeitos do veganismo no organismo.

*Fonte: Karla Santone

*Imagem: divulgação



Deixe seu comentário