Dietas à base de carne matam mais pessoas do que o tabaco, segundo pesquisa

0

Uma pesquisa mostrou que dietas à base de carne estão matando mais do que o tabaco. De acordo com o estudo, uma alimentação rica em proteína animal e pobre em vegetal causa mais mortes do que qualquer outro fator de risco em nível global.

*Por Amy Percival para o LiveKindly

Um novo estudo mostrou que dietas com alto teor de carne têm maiores riscos à saúde. Elas podem matar mais pessoas do que o tabaco.

A pesquisa acompanhou as tendências de consumo em 195 países. O levantamento examinou dados entre 1995 e 2017. O estudo mostra que uma dieta rica em carne pode estar associada a um quinto das mortes no mundo todo.

O Dr. Ashkan Afshin, professor da Universidade de Washington (EUA) e um dos autores da pesquisa, explica mais sobre a alimentação à base de carnes e carente de vegetais. “Maus hábitos alimentares, que são uma combinação de alta ingestão de alimentos não saudáveis, como carne, além de bebidas adoçadas com açúcar e uma baixa ingestão de alimentos saudáveis, como frutas, legumes, nozes, grãos integrais, e sementes, em geral, causam mais mortes do que qualquer outro fator de risco globalmente”, declara.

O estudo revela que, no mundo todo, os fatores de risco alimentares registrados contribuíram para 11 milhões de mortes em 2017. O levantamento mostra que as dietas insalubres e pesadas são responsáveis por mais mortes do que o tabaco e a hipertensão.

Dietas à base de carne e alimentação vegetariana estrita

O estudo segue uma série de outras investigações sobre o efeito da dieta em questões como doenças cardíacas.

Um levantamento de 2018, da American Heart Association (AHA), mostrou que uma dieta vegetariana estrita poderia ajudar a reduzir inflamações, e, portanto, o risco de doença cardíaca. O estudo de oito semanas monitorou 100 participantes que sofriam de doença arterial coronariana.

Alguns seguiram uma dieta baseada em vegetais e outros adotaram uma alimentação com pequenas quantidades de carne, ovos e laticínios. A AHA descobriu que aqueles na dieta vegetariana estrita tiveram os melhores resultados. A inflamação deles foi reduzida muito mais em comparação com outros grupos.

Um estudo de 2017 teve resultados semelhantes. Ele demonstrou que, ao substituir duas porções de proteína animal em sua dieta por duas de proteína baseada em vegetais todos os dias, os marcadores de colesterol poderiam ser reduzidos em 5%.

*Fonte: LiveKindly

*Imagem: divulgação

 



Deixe seu comentário