Dieta sem glúten e a contaminação cruzada

0

As pessoas celíacas precisam tomar alguns cuidados para evitar a contaminação cruzada na alimentação. Isso corre quando o intolerante à proteína ingere algum alimento, por exemplo, que tenha entrado em contato com o glúten em algum momento, mesmo que, originalmente, ele não tenha este ingrediente em sua composição. Confira a seguir algumas dicas da engenheira civil Celine Vasco, que é celíaca há mais de 5 anos, sobre como evitar a contaminação cruzada neste tipo de dieta.

*Por Celine Vasco

Para os celíacos que cozinham e comem em casa, seguir uma dieta sem glúten pode ser fácil. Mas, se a dieta é baseada em produtos industrializados e refeições em restaurantes, a alimentação pode exigir uma boa mudança de hábito. Veja alguns motivos:

1) Alimentos industrializados: os industrializados sem glúten não estão nas prateleiras de todos os supermercados.

2) Os riscos da contaminação cruzada: celíacos não podem comer onde não há segurança de uma refeição 100% sem glúten. Há o risco da contaminação cruzada.

O que é a contaminação cruzada na dieta sem glúten

Mas, afinal, o que é contaminação cruzada? Pra mim, é a maior dificuldade da vida celíaca.

Um alimento glutenado (contaminado por glúten) pode deixar seus traços e partículas de glúten por onde passa, desde o plantio, transporte, armazenamento, processamento.

Assim, quando um alimento sem glúten entra em contato com tais traços, ele se contamina. Se ingerido, acionará os mecanismos de defesa do corpo, da mesma forma se a quantidade ingerida for maior.

Por isso, o grande desafio do celíaco é ficar atento ao glúten que está escondidinho no alimento e que chegou ali por meios tão variados, que fica difícil controlar. Então, quando nós mesmos cozinhamos em nossa casa e reduzimos os industrializados, o risco é menor.

Alguns cuidados básicos que precisamos ter para evitar a contaminação cruzada:

– Não compartilhar: esponja de louça, talheres, forno, louça;

– Não compartilhar: batom, pasta de dente;

– Atenção na escolha de cosméticos e maquiagens, muitos têm aveia ou trigo;

– Atenção aos cafés. Eles podem levar cevada/malte;

– Verifique a composição da ração que seu pet consome;

– Cuidado com rótulos, porque nem sempre dizem a verdade. Pesquise e fale com o SAC da empresa;

– Cuidado com a procedência dos sabonetes de banheiros públicos. Tenha sempre um álcool gel na bolsa;

– Evite comprar produtos a granel;

– Evite beijar alguém que acabou de beber cerveja ou consumir glúten;

– Evite consumir remédios manipulados.

Celine Vasco é engenheira civil e celíaca, além de intolerante à lactose. Descobriu que possui alergia ao glúten em 2013, quando recebeu o diagnóstico.

*Fonte: Nenhuma Migalha

*Imagem: divulgação



Deixe seu comentário