Caso da ursa Marsha: uso de animais selvagens para entretenimento é crueldade

0

O caso da ursa Marsha tem sido um dos principais assuntos repercutidos na internet pelos brasileiros ultimamente. E isso nos chama a atenção para uma prática muito grave e cruel: o uso de animais selvagens para entretenimento, como em circos, aquários, zoológicos, entre outros.

Neste último domingo, 12 de novembro, programas de televisão como o Fantástico (Globo) e o Domingo Espetacular (Record) fizeram uma matéria explicando a situação da ursa Marsha. Desde 2011 ela vive em um zoológico, na cidade de Teresina, no Piauí.

Antes disso, ela vivia com a cia do Circo Vostok. Depois, foi resgatada em uma operação realizada pelo Ibama, no interior do Pará. Ela foi encontrada junto com outros ursos em péssimo estado, amontoados em uma pequena jaula, de propriedade do circo D’Itália. Marsha foi adestrada para andar de bicicleta, skate e se equilibrar em uma bola gigante.

O grande drama da ursa Marsha

A ursa Marsha é mais uma vítima do tráfico internacional de animais, prática que, infelizmente, é muito comum no Brasil. Ela veio da Sibéria, Rússia, quando ainda era filhote. Ou seja, ela pertence a um dos lugares mais frios do mundo e hoje vive em uma cidade com a temperatura média de 33°C. Além de Marsha que está no Piauí, tem urso em Pernambuco, Sergipe e Bahia.

Em uma ação popular, a jornalista e ativista Carolina Mourão Albuquerque pede que a ursa saia do Zoobotânico de Teresina e seja levada para um ambiente mais adequado, já que o calor excessivo deixa o animal em grande mal-estar.

A campanha disseminada nas redes sociais e a petição online no site Avaaz foram decisivas para a vitória da ação na Justiça Federal. O juiz Frederico Botelho de Barros Viana, da 4ª Vara Federal Cível da Seção Judiciária do Distrito Federal (SJDF) determinou que a ursa Marsha seja transferida para o Santuário Associação Mara Ciliar, no interior de São Paulo. No entanto, a coordenação do Parque Zoobotânico de Teresina já afirmou que irá recorrer da decisão.

Santuários como solução para animais vítimas de exploração e crueldade

Infelizmente, o caso da ursa Marsha não é isolado. São inúmeros os animais selvagens que sofrem com a exploração de empresas de entretenimento, entre outros tipos de exploração. Para os que conseguem ser resgatados e libertados da crueldade que sofrem, uma das melhores alternativas pode ser os santuários.

Nestes lugares, os animais são acolhidos e reintroduzidos na natureza selvagem, desde que seja possível, para viverem em liberdade. No caso de animais mais velhos e que se tornaram dependentes dos humanos, esse procedimento não é indicado. Desta forma, eles permanecem nos santuários com todas as condições adequadas que necessitam e merecem, com respeito, carinho e repouso, sem serem explorados de forma alguma, até o fim de suas vidas.

O destino da ursa Marsha ainda é incerto e ela não tem data para ser transferida. Segundo a Confederação Brasileira de Proteção Animal (CBPA), é preciso aguardar a caixa de transporte ficar pronta. Então, um avião da Força Aérea Brasileira fará a viagem.

Assista à reportagem do Fantástico a seguir e saiba mais:

*Fontes: Bancada Brasil / Fantástico / G1 Piauí

*Imagem: Moura Alves – jornal O Dia



Deixe seu comentário