Tragédia em Brumadinho-MG deixou muitas pessoas e animais presos na lama

0

O rompimento de uma barragem em Brumadinho-MG, na última sexta-feira (25), deixou diversas pessoas e animais presos na lama, além de muitos mortos. Desde sexta-feira, 60 corpos foram encontrados e 292 vítimas estão desaparecidas, até a última atualização feita pelo Corpo de Bombeiros.

Além de funcionários da Vale – empresa responsável pela barragem da Mina Córrego Feijão, que foi rompida  –  moradores da região, turistas e muitos animais também morreram soterrados pela lama ou porque não foram socorridos a tempo. Grupos de voluntários se mobilizaram até o local para salvar cães, gatos, vacas, galinhas, macacos, cavalos, entre outros animais que habitavam a zona atingida. O resgate está sendo feito desde a tarde do último domingo (27), nas margens da área atingida, devido às restrições do Corpo de Bombeiros. A limitação foi imposta em decorrência do risco de uma nova barragem se romper.

O Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado Minas Gerais (acesse aqui) montou pontos de apoio aos animais resgatados, para que passem por triagem médica. Depois dos primeiros-socorros, eles estão sendo encaminhados a faculdades que tenham hospital veterinário.

O Ministério Público Estadual de Minas Gerais (MPMG) recomendou neste último domingo à Vale, que monte um plano de resgate e cuidados dos animais presos pela lama. A ação deve ter uma equipe técnica qualificada e dispor de equipamentos, máquinas, veículos e suprimentos necessários para salvar e tratar os animais resgatados.

Além disso, o MPMG solicitou que o plano da Vale inclua entrevistas com os moradores da área atingida, para auxiliar na identificação dos animais e na localização deles.

Animais presos na lama em Brumadinho: vidas inocentes em sofrimento

Desde o rompimento da barragem, diversos animais ficaram presos na lama, sem conseguirem se mexer. Muitos não  sobreviveram, porque foram soterrados ou resgatados a tempo. Algumas vacas, que não estavam conseguindo serem salvas rapidamente, foram sacrificadas. A ordem foi dada por policiais militares, que alegaram o risco de outra barragem se romper. Ativistas que estavam no local ficaram arrasados (confira aqui).

Muitos peixes morreram, em decorrência da lama tóxica que atingiu as águas do rio Paraopeba (saiba mais aqui).

Um cão, chamado Vitinho, emocionou as redes sociais. Ele foi resgatado, mas voltou várias vezes ao seu lar, à espera de seus tutores, que estão vivos, já em busca do cachorro (veja aqui).

Dezenas de pássaros, que estavam presos em gaiolas, foram soltos, para não serem engolidos pela lama (leia aqui).

Até o momento, 58 pessoas foram encontradas mortas e 305 estão desaparecidas.

Animais presos na lama: como ajudar

Entre outras ações pelo brasil, um ponto de coleta de doações foi instaurado em Belo Horizonte-MG. Quem quiser colaborar, pode levar e enviar rações, toalhas, gazes, ataduras, esparadrapos, medicamentos, seringas, entre outros. Os materiais devem ser destinados ao Clan Glass Hotel, na rua Gonçalves Dias, 30 (veja mais aqui).

ONG’s também estão procurando lares temporários para abrigar os animais resgatados. Saiba mais aqui.

*Fontes: Agência Brasil; Estado de Minas; O Globo; R7; G1; BHAZ

*Imagem: Reprodução/TV Globo



Deixe seu comentário