Abate de gado na Amazônia: 18 mil cabeças por dia sem monitoramento ambiental

0

A situação do abate de gado na Amazônia, em relação ao monitoramento ambiental, não está funcionando 100%.

Segundo reportagem de Bernardo Camara, para o site O Eco, 30% da carne produzida na região da Amazônia vem de frigoríficos sem acordos com o Ministério Público Federal. E tem mais: antes dos animais serem abatidos (cerca de 60 mil por dia), metade dos 128 frigoríficos espalhados pela região fazem uma verificação para garantir que os animais são provenientes de fazendas que estão dentro das leis ambientais e sociais. Em contrapartida, a outra metade dos frigoríficos não tem a menor ideia da origem desses animais.

Apenas 48% dos frigoríficos presentes na Amazônia aderiram ao acordo que ficou conhecido como TAC da Carne, conforme levantamento do instituto de pesquisa Imazon. A intenção é a de que todos os abatedouros existentes nessa região monitorem seus fornecedores de gado. Ao invés disso, a maior parte deles nem conhece a procedência do produto. Desta forma, cerca de 18 mil cabeças de gado são abatidas sem monitoramento. E, a maior parte dessa carne vinda de fazendas irregulares, é distribuída por todo o Brasil e sem restrição de mercado.

Leia a reportagem na íntegra aqui.

Fonte: Por Bernardo Camara para O Eco

Imagem: Marcio Isensee e Sá / divulgação



Deixe seu comentário